Dinheiro desviado por Paolicchi volta para a prefeitura de Maringá

Jordana Martinez


O juiz federal Anderson Furlan começou a liberar os recursos desviados pelo ex-secretário municipal de Fazenda de Maringá, Luiz Antônio Paolicchi, assassinado em 2011. São R$ 5,5 milhões provenientes de leilões de bens sequestrados de Paolicchi que estavam em uma conta judicial. A devolução começa a acontecer 16 anos depois da revelação do maior esquema de desvios de recursos na prefeitura de Maringá. Estima-se que o total desviado passaria de R$ 500 milhões.

No despacho Furlan justificou a decisão: “não perece justo que o Município de Maringá continue sem poder dispor de valores desviados de seus cofres há praticamente vinte anos, quando poderia empregá-los desde logo em educação e saúde, por exemplo, ou seja, necessidade básicas dos munícipes, ainda mais nesses tempos de recursos escassos. Convém ressaltar que o crédito municipal reclamado não está sujeito ao concurso de credores, pois trata-se de valores que lhe foram criminosamente subtraídos de seus cofres pelo ora executado”, argumentou.

Segundo o juiz, pelo menos mais 30 imóveis em nome de Paolicchi devem ser leiloados nos próximos meses e os valores devolvidos à prefeitura e Maringá e à Receita.

Histórico

Luiz Antonio Paolicchi foi secretário municipal da Fazenda durante a gestão do ex-prefeito de Maringá Jairo Gianoto, entre 1997 e 2000. Entre 2001 e 2001 a Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Maringá protocolou ações contra os gestores por desvio de recursos públicos e crimes fiscais.

Em 2010, a Justiça Estadual condenou o ex-prefeito  e o ex-secretário, além do ex-deputado federal e outras 14 pessoas por terem desviado R$ 53 milhões da prefeitura da cidade.

Os réis foram condenados à perda dos bens obtidos ilicitamente, bem como o ressarcimento integral e solidário de todos os valores desviados e multa solidária de duas vezes o valor inicialmente desviado.

Assassinato

Paolicchi foi morto em outubro de 2011 com quatro tiros. O corpo foi encontrado amarrado no porta-malas do carro dele, que estava abandonado em uma propriedade rural. O ex-companheiro de Paolicchi, Vagner Eizing Ferreira Pio, confessou ter sido o mentor do assassinato.

Previous ArticleNext Article
Jordana Martinez
Profissional multimídia com passagens pela Tv Band Curitiba, RPC, Rede Massa, RicTv, rádio CBNCuritiba e BandNewsCuritiba. Hoje é editora-chefe do Paraná Portal.