Dez pessoas morreram de dengue no Paraná na última semana

Redação

Mortes por dengue no Paraná sobem 34% em uma semana e chegam a 105 casos totais

Desde 28 de julho de 2019, 23 pessoas morreram de dengue no estado do Paraná, dez somente na última semana, segundo dados do boletim da dengue divulgado pela Sesa (Secretaria da Saúde do Paraná) nesta terça-feira (18).

Os óbitos foram registrados em sua maioria em pacientes idosos e portadores de outras doenças, principalmente hipertensão e doenças cardíacas:

  • Alto Paraná: homem de 62 anos, portador de hipertensão, e outro homem, de 82 anos, com diabetes e hipertensão;
  • Foz do Iguaçu: homem de 76 anos com doença crônica no fígado;
  • Medianeira: homem de 90 anos com insuficiência renal crônica;
  • Douradina: mulher de 81 anos com hipertensão arterial e doença cardíaca;
  • Xambrê: mulher de 80 anos e portadora de hipertensão;
  • Terra Rica: homem de 65 anos e portador de diabetes e pressão alta;
  • Santa Mônica: mulher de 73 anos;
  • Sarandi: mulher de 26 anos, sem comorbidades;
  • Maringá: menina de sete anos, sem comorbidades.

Os casos da doença também seguem crescendo no Paraná. Ainda de acordo com a Sesa, houve alta de 29,81% nas ocorrências, saltando de 20.563 para 26.692. Ao todo são 76.285 notificações de dengue presentes em 325 municípios.

Dessas cidades, 78 estão em situação de epidemia, com a entrada de 16 novos municípios nessa lista: Alto Paraíso, Alto Piquiri, Altônia, Cafezal do Sul, Nova Olímpia, Perobal, Xambrê, Amaporã, Cruzeiro do Sul, Jardim Olinda, São Carlos do Ivaí, Ourizona, Santo Inácio, São Jorge do Ivaí, Ibiporã e Ouro Verde do Oeste.

Desde a última quinta-feira (13), o governo do Paraná declarou Estado de Alerta em todo estado. Em comparação ao mesmo período de 2019, os casos de dengue cresceram 6.657,47 %, sendo que os meses mais críticos para as ocorrências da doenças são fevereiro e março.

Entre os municípios com situação de epidemia, Paranavaí lidera em número de ocorrências na última semana com 1.123, seguido por Foz do Iguaçu (503 novos casos) e Bandeirantes (276 novos casos).

MEDIDAS DE PREVENÇÃO CONTRA A DENGUE

Os principais cuidados para evitar os focos de proliferação do mosquito Aedes Aegypti são evitar água acumulada em superfícies. Dessa forma, tampar caixas d’água, limpar calhas, manter garrafas com a boca para baixo, não deixar água nos vasos de plantas são métodos eficazes para o controle da doença.

Os principais sintomas da dengue são febre alta e de forma súbita, dor de cabeça, dor atrás dos olhos, náuseas, tontura e extremo cansaço. Se a doença não foi tratada, pode evoluir rapidamente para dores abdominais fortes e contínuas, vômitos, palidez, sangramentos pelo nariz, boca e gengivas.

Previous ArticleNext Article