Universidades estaduais do Paraná se destacam em pesquisas científicas

Lorena Pelanda - BandNews FM Curitiba


As universidades estaduais de Maringá e Londrina são as instituições que mais produzem pesquisas científicas no Estado. A Universidade Estadual de Maringá (UEM) e Universidade Estadual de Londrina (UEL) estão entre as 30 instituições que se destacam neste tipo de atividade no país, segundo um estudo da Universidade de São Paulo. O levantamento leva em conta pesquisas realizadas entre 2014 a 2018.

A UEM ocupa a 25ª posição da tabela com pouco mais de 3.600 documentos produzidos no período, logo em seguida aparece a UEL na 29ª colocação com 3.168 pesquisas. As duas universidades, juntas, representam 3% da produção científica total do país.

Entre os 12 pesquisadores brasileiros mais citados em todo o mundo está o professor da UEPG, Daniel Granato. O professor, que atua no Departamento de Engenharia de Alimentos, é o 3º pesquisador mais produtivo do Brasil e um dos 300 do mundo na área de Ciências Agrárias, além de ter publicado 12 artigos que estão entre os mais citados da história da Ciência e Tecnologia de Alimentos.

Ele afirma que o foco das pesquisas está em achar soluções naturais e sustentáveis para a indústria de alimentos. “Nós estamos utilizando rejeitos industriais, como sementes de uva, jabuticaba, cascas de produtos orgânicos, para extração de compostos que podem ser utilizados pela indústria de alimentos”, disse.

A Universidade de São Paulo lidera a lista nacional e é responsável pYor mais de 20% das pesquisas realizadas no Brasil. A análise também destaca que, segundo Indicadores Nacionais de Ciência, Tecnologia e Inovação, 80% dos pesquisadores do país estão nas universidades.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="611050" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]