Educação espera implantar 200 colégios cívico-militares no Paraná

William Bittar - CBN Curitiba


A expectativa da Secretaria da Educação e do Esporte do Paraná é iniciar o ano letivo de 2021 com a implantação de 200 colégios cívico-militares em cerca de 118 municípios do estado. Até o momento, 176 instituições foram escolhidas para receber o novo modelo.

A consulta pública é feita em 217 escolas da rede estadual de ensino, mas em 21 os pais decidiram continuar com o modelo tradicional e em 19 a consulta pública se encerra às 20h, desta quarta-feira (4).

De acordo com a diretora de planejamento e gestão escolar da Secretaria da Educação, Adriana Kampa, a pasta pode indicar outros colégios para receber a consulta da comunidade escolar, justamente, para completar a implementação do modelo em 200 escolas.

“A ideia é iniciar todos os 200 colégios, esse é o programa inicial do Governo, então, nós vamos fechar nesse número e saber quantas vagas realmente a gente tem e quais as regiões não foram contempladas, que nenhum colégio aceitou, e se tem outros colégios para indicarem nessas cidades”, explicou Kampa.

Adriana Kampa também afirma que não há grandes mudanças na estrutura curricular dos alunos. O objetivo é incluir aulas de civismo e educação financeira e implantar reforços das disciplinas de Português e Matemática.

Ela ressalta que esses colégios terão de dois a quatro militares que farão a segurança e monitoramento e que as aulas continuarão sendo ministradas por professores da rede estadual. Por fim, a diretora de planejamento e gestão escolar da Secretaria da Educação, frisou que alunos com necessidades especiais continuarão sendo atendidos.

“Em todos os programas continuam sendo garantidos salas de recursos, sala de apoio de português e matemática.”

Em Curitiba, por exemplo, até a noite desta terça-feira (3), onze colégios foram aprovados pela comunidade escolar, para receber o modelo cívico-militar a partir do ano que vem. Por outro lado, em cinco instituições, os pais, professores e funcionários optaram por continuar com o modelo tradicional.

Previous ArticleNext Article