Educadoras são condenadas a prisão por tortura contra crianças no Paraná

Andreza Rossini


A juíza Fernanda Batista Dornelles, da Vara Criminal de Cidade Gaúcha, no noroeste do Paraná, condenou duas educadoras de Marechal Cândido Rondon a 20 anos de prisão com regime inicial fechado, pelo crime de tortura.

O caso teria acontecido no Centro Municipal de Educação Infantil Menino Deus, em Marechal Cândido Rondon, em 2017.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, elas submeteram diversas crianças, alunas, a sofrimento físico e psicológico como forma de aplicação de castigos, ” agredindo-as física e psicologicamente, com empurrões, puxões de cabelo e de orelha, apertões e outras condutas semelhantes”.

As educadoras também perderam o cargo público e estão proibidas de ocupar outro cargo público por 40 anos.

O caso

As agressões, que foram filmadas, aconteceram em outubro de 2017. No mês seguinte foi decretada a prisão preventiva das rés, que che A Secretaria de Educação recebeu denúncias de maus tratos e instalou os equipamentos de segurança.

A denúncia foi oferecida na última sexta-feira (24), por meio da Promotoria de Justiça de Cidade Gaúcha.

A Prefeitura do município afastou as educadoras do cargo. Duas novas educadoras foram contratadas para atender as crianças. A diretora da creche foi alvo de inquérito policial para apurar a prática de tortura por omissão.

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="542787" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]