Em seis meses de fiscalização, Aifu dispersa 27 mil pessoas de aglomerações em Curitiba

Redação

Foram 168 operações desde janeiro de 2021, que resultaram em 479 pessoas encaminhadas para a Central de Flagrantes
Em seis meses de fiscalização, Curitiba dispersa 27 mil pessoas de aglomerações

Em seis meses de fiscalizações da Aifu (Ação Integrada de Fiscalização Urbana), em cumprimento das medidas de combate a Covid-19, Curitiba dispersou 27,6 mil pessoas de aglomerações.

Foram 168 operações desde janeiro de 2021, que resultaram em 479 pessoas encaminhadas para a Central de Flagrantes, 576 pontos comerciais em situação irregular interditados e 2.266 autuações administrativas para pessoas físicas e jurídicas.

Também houve verificação de questões relacionadas ao trânsito nos arredores dos 928 pontos abordados. No período analisado, 647 veículos foram abordados e, destes, 197 recolhidos por estarem com pendências administrativas. Os policiais militares ainda lavraram 978 autos de infração a condutores de automóveis e motocicletas.

Além disso, as equipes policiais da Aifu apreenderam 127 máquinas caça-níqueis, 47 eletrônicos relacionados a jogo do bicho, 10.596 maços de cigarros e 3.673 essências de narguilé. A maior parte desses objetos foi encontrada em bares nos bairros das regiões Sul, Central e Leste de Curitiba.

De acordo com a PMPR (Polícia Militar do Paraná), que realizou o levantamento dos dados, ao longo das operações os policiais se depararam várias vezes com o descaso de pessoas que insistem em desobedecer as recomendações e fomentam aglomerações e atividades que ampliam o contágio do vírus.

PRINCIPAIS CASOS DE FISCALIZAÇÃO DA AIFU EM CURITIBA EM 2021

Dentre os principais casos ocorridos, estão uma abordagem a uma arena de esportes em funcionamento no bairro Umbará, região sul da Capital, com 27 pessoas que não respeitavam as medidas sanitárias, em junho. Todos os frequentadores foram autuados e o proprietário encaminhado pelos policiais militares para a assinatura do Termo Circunstanciado.

Em seis meses de fiscalização, Aifu dispersa 27 mil pessoas de aglomerações em Curitiba (SESP-PR)

Em outro momento, ainda no mês de junho, numa tabacaria situada na Cidade Industrial de Curitiba, na Rua Desembargador Cid Campelo, cerca de 90 pessoas, entre fregueses e funcionários, foram flagradas sem máscara e sem respeitar o distanciamento. Durante a ação, porções de maconha, cocaína e ecstasy foram encontrados no chão do estabelecimento.

Os quatro envolvidos, mais um casal que fazia a função de segurança, foram encaminhados à Decrisa (Delegacia de Crimes contra a Saúde Pública). O mesmo local já tinha sido alvo de abordagens outras três vezes em fevereiro e março deste ano, também sendo constatada a aglomeração de pessoas.

Já em maio, um bingo com 120 idosos foi abordado pelas equipes policiais no cruzamento da Rua Desembargador Westphalen com a Rua Baltazar Carrasco dos Reis. Ao todo, foram apreendidos 12 CPUs, cinco caixas de som, 10 monitores e seis televisores, além de R$ 1.683,00 em dinheiro. Cada um dos frequentadores foi notificado e recebeu uma multa de R$ 5 mil aplicada pelos agentes da Secretaria Municipal de Urbanismo.

O QUE É A AIFU?

O comandante do 1° Comando Regional da PM, ao qual a Aifu está subordinada, coronel Wagner Lucio dos Santos, explica que o diferencial desse grupo é que a dinâmica envolve profissionais municipais e integrantes de outras forças policiais nas abordagens, reforçando o efeito da fiscalização com autuações administrativas, além dos encaminhamentos criminais.

“É preciso que as pessoas entendam que ao descumprir as normativas estão contribuindo para a propagação do vírus, e, em algum momento, ela mesma ou alguém de sua família pode ser contaminado, por isso é importante que cada um faça sua parte, e ajude a salvar vidas”, diz o coronel.

Além de vistorias em pontos comerciais, a Aifu também promove abordagens a locais públicos, como praças e parques, visto que alguns são pontos de aglomeração de pessoas que desrespeitam as recomendações de distanciamento social e uso de máscara.

“Principalmente nos finais de semana, verificamos que as pessoas tendem a sair mais de casa e acabam se aglomerando nesses locais, por isso a Aifu também faz a fiscalização e orientação para que elas retornem às suas casas”, afirmou o coronel Wagner.

Em seis meses de fiscalização, Curitiba dispersa 27 mil pessoas de aglomerações (José Fernando Ogura/AEN)

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="773933" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]