Em um mês, apenas 39% do público-alvo se vacinou contra gripe em Curitiba

Estelita Hass Carazzai - Folhapress


 

Em quase um mês de campanha de vacinação contra a gripe, apenas 39% do público-alvo se vacinou em Curitiba. O número preocupa a prefeitura. A médica Marion Burger, infectologista da Secretaria Municipal da Saúde, alerta que é importante se imunizar todo ano, antes que a gripe chegue com tudo. “A gente já gostaria que 100% já tivesse vacinado e espera que até o dia 31 de maio, data que encerra a campanha, todos já estejam vacinados. Nós temos que chamar essas pessoas do grupo prioritário antes que  a gripe chegue com tudo. Nem estamos ainda na época mais fria e já tem muita gente doenças respiratórias”, fala ela.

Por enquanto, apenas o grupo prioritário tem acesso à vacina gratuita nos postos. São gestantes, idosos, doentes crônicos, crianças com até 6 anos de idade e mães de bebês de até 45 dias, além de profissionais da saúde e professores. Essas são as pessoas consideradas mais suscetíveis à doença ou que podem virar retransmissores, e que estão sendo chamadas a se vacinarem. “Esses são os grupos que mais apresentam complicações, ou que são os grandes transmissores do vírus. As outras pessoas até tem recomendação para fazer a vacina da gripe mas ela não está disponível de graça, então quem tem direito deve aproveitar. A gente chama todas as gestantes, as mães de bebês e principalmente as crianças abaixo de 6 anos de vida Esse é um público que se infecta muito e transmite muito vírus da gripe. Por isso nós chamamos todos os pais e responsáveis que levem essas crianças para os postos de saúde para vacinar essa população, porque nessa faixa etária, há muitas complicações provocadas pela gripe”.

Além das crianças com menos de seis anos, a médica chama a atenção de doentes crônicos para que procurem os postos de saúde. Os dois grupos são os que têm a menor cobertura vacinal até aqui. Apenas 35% das crianças e 22% dos doentes crônicos se vacinaram em Curitiba. “Quem é cardiopata, quem tem asma, diabetes ou obesidade, deve ser vacinar. São principalmente esses  doentes crônicos podem fazer complicações e até podem falecer por conta da gripe”, alerta ela.

Em todo o Paraná, o alcance da vacina contra a gripe chega a 55% do público-alvo, segundo balanço divulgado hoje pelo governo do estado. O governo também oferece nos postos de saúde um medicamento antiviral para quem já tem os sintomas da gripe. O remédio é entregue de forma gratuita, mas apenas a quem tiver receita médica.

Em Curitiba, as vacinas contra a gripe estão disponíveis em todas as unidades de saúde da cidade, abertas de segunda a sexta-feira, no horário comercial. A campanha de vacinação vai até o dia 31 deste mês.

 

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="619833" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]