Quadrilha é presa com R$ 1 milhão em emagrecedores ilegais no Paraná

Angelo Sfair

remédios, emagrecedores, emagrecedores ilegais, curitiba, paraná, polícia civil, sibutramina, fluoxetina, bupropiona, diazepam, santa catarina

Uma quadrilha suspeita de vender remédios emagrecedores ilegais foi presa nesta terça-feira (17) pela pela PCPR (Polícia Civil do Paraná). Ao todo, 13 pessoas foram detidas e cerca de 15 mil frascos foram apreendidos em Curitiba. A carga de remédios à base de sibutramina foi avaliada em pelo menos R$ 1 milhão.

Os membro da quadrilha devem ser indiciados por falsificação de produtos terapêuticos ou medicinais. Conforme o Código Penal, é um crime hediondo e inafiançável. A pena varia de 10 a 15 anos de prisão, além de multa.

Conforme as investigações, os remédios emagrecedores de venda proibida eram oferecidos na internet. Os produtos à base de sibutramina não tinham qualquer controle de qualidade ou autorização das agências reguladoras.

A Polícia Civil do Paraná realizou buscas nos bairros Boqueirão, Hauer, Bairro Alto e CIC (Cidade Industrial de Curitiba). Além disso, também visitou estabelecimentos comerciais suspeitos de colocar os remédios emagrecedores proibidos à exposição para venda.

“Recebemos algumas denúncias e a partir dessas informações começamos a investigação. Encontramos vários revendedores e expositores, inclusive em lojas físicas”, explicou a delegada Aline Manzatto, titular da Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Saúde.

REDE COMPLEXA ABASTECIA E VENDIA EMAGRECEDORES ILEGAIS

remédios, emagrecedores, emagrecedores ilegais, curitiba, paraná, polícia civil, sibutramina, fluoxetina, bupropiona, diazepam, santa catarina 4
Divulgação/PCPR

Durante as investigações, a Polícia Civil identificou vendedores dos produtos emagrecedores ilegais em cidades do interior, como Londrina e Maringá, na região norte, e Campo Mourão, na região noroeste do Paraná.

Além disso, a rede criminosa atuava na região metropolitana de Curitiba. Pelo menos um revendedor foi identificado em Colombo, por exemplo.

“Pelas investigações, apuramos que os produtos são fabricados em Santa Catarina. Ainda não conseguimos descobrir exatamente onde isso tem acontecido. A partir dos celulares, computadores e documentos apreendidos daremos continuidade às investigações”, completou a delegada Aline Manzatto.

DIVULGAÇÃO PELA INTERNET E VENDAS FÍSICAS

Vários pontos de venda físicos foram identificados pela polícia do Paraná.

De acordo com as investigações, páginas na internet também eram usadas para divulgar os emagrecedores ilegais à base de sibutramina. Alguns perfis chegavam a contar com mais de quatro mil seguidores nas redes sociais.

Além disso, os medicamentos também continham fluoxetina, bupropiona e diazepam. Assim como a sibutramina, todas essas substâncias estão sujeitas ao controle especial das agências reguladoras. Emagrecedores desse tipo só podem ser vendidos com prescrição e acompanhamento médico.

Assim, os presos responderão pelo crime de vender, expor à venda, ter em depósito ou distribuir produto sem registro na vigilância sanitária.

Previous ArticleNext Article