Empresário demite funcionários e fecha bar em Curitiba por causa do coronavírus

Vinicius Cordeiro e William Bittar - CBN Curitiba

coronavírus curitiba

O empresário Flávio Lentilha decidiu fechar o Empório 80, bar na região central de Curitiba em meio à pandemia do coronavírus. O negócio, inaugurado em 2017, não conseguiu se sustentar porque dependia de eventos realizados no local.

“Trabalhamos com muitas reservas. Quando chegou essa crise, houve cancelamentos em massa e seria impossível se manter. O último evento foi no dia 14 de março. Fechamos as portas com dois colaboradores. Estou tentando ajudar eles de alguma forma, mas não tem como”, relatou ao Paraná Portal.

Além da Covid-19 afetar o movimento, o estabelecimento ainda sofreu duas invasões na última semana. Na visão do empresário, os empreendimentos no Centro de Curitiba estão à mercê dos bandidos.

“Em dois anos de funcionamento, foram 19 arrombamentos e um assalto à mão armada, prejuízo acima de R$ 100 mil. É impossível fechar as contas assim, você trabalha sempre com passivo”, completou.

1.200 PESSOAS DEVEM SER DEMITIDAS PELA COVID-19 EM CURITIBA

O cenário do empresário reflete o caos econômico gerado pelo coronavírus. No país inteiro, são 77 óbitos e quase 3 mil casos da doença.

Fábio Aguayo, presidente da Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas, diz que ouve relatos diários sobre situações parecidas de Lentilha. Segundo ele, o que garantiu “um certo respiro” foi o fato de prefeitos e governadores do Paraná decretarem esses serviços como essenciais.

Vale ressaltar que os pedidos online estão em alta, contrastando com o cenário atual dos empresários. O James Delivery, presente em Curitiba e diversas outras cidades, apresentou crescimento de 50% nos pedidos comparado à semana anterior.

Contudo, Aguayo diz que 1.200 pessoas devem ser demitidas de bares e restaurantes da capital paranaense até o dia 5 de abril.

“Cresceu o atendimento de delivery, mas não é o suficiente para o sustento dos empresários. É uma medida paliativa. Tem gente que está desesperada e quer mandar embora. A toada é essa”, explica ele.

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DO PARANÁ PEDE FIM DO ISOLAMENTO

A ACP (Associação Comercial do Paraná) quer que o comércio volte a funcionar em todo o estado mesmo que os números do coronavírus esteja aumentando.

Para Camilo Turmina, presidente da ACP, compartilha a visão de Jair Bolsonaro e diz que o fechamento até o momento já foi suficiente.

“O isolamento foi importante, mas é um período. E acho que foi o suficiente. É hora de recomeçarmos, colocar o carro na rua e pé na estrada”, diz.

Turmina também falou que o prejuízo do comércio paranaense deve chegar a 30% em março e se as lojas continuarem fechadas em abril, o prejuízo será incalculável.

“Se formos fechar o mês de março, posso dizer seguramente que muitos perderam mais de 30% do seu movimento. A previsão lá na frente ainda precisamos determinar”, completa.

Previous ArticleNext Article