Escola de Curitiba é a única do Paraná entre finalistas de projeto da ONU Meio Ambiente

Vinicius Cordeiro

escola de curitiba projeto plástico onu meio ambiente

A Escola Pedro Apóstolo, de Curitiba, é a única do Paraná entre as 10 finalistas do ‘Mares Limpos‘. O projeto, promovido pela ONU Meio Ambiente, foi feito para alunos e professores desenvolverem ações para reduzir o consumo de plástico. Foram 25 instituições participantes, mas agora o colégio curitibano pode se sagrar o vencedor neste sábado (31), quando o resultado é divulgado.

A principal autoridade global em meio ambiente é uma agência do Sistema das Nações Unidas (ONU), responsável por promover a conservação do meio ambiente. A partir disso que o projeto foi lançado.

A Pedro Apóstolo, localizada no bairro Capão Raso, teve 50 dias de atividades e acabou reunindo diversas ações lúdicas criadas pelos professores e alunos do 7.º e 8.º ano.

“A partir do momento em que o aluno trabalha toda essa importância de reduzir o plástico dentro da escola, isso acaba refletindo em casa e no relacionamento com os pais e amigos”, ressalta a diretora da escola, Carolina Paschoal.

Na festa junina deste ano, por exemplo, a escola conseguiu promover o evento 98% livre de plástico. A escola também sugeriu que os alunos levassem as próprias garrafas de água, para evitar o uso do copo plástico.

“Ficamos muito felizes com o engajamento dos alunos, professores e colaboradores. Pretendemos continuar realizando projetos. Os próprios alunos escolheram o tema com o auxílio dos professores”, completa a diretora.

escola de curitiba projeto plástico onu meio ambiente
Foto: Divulgação

O PROJETO DA PEDRO APÓSTOLO

De acordo com a ONU, de 60% a 80% de todo o lixo no mar é plástico. A estimativa é de que até 2050 teremos mais plástico do que peixes no mar. Com esse dado, uma das ações da escola foi “O impacto do plástico nos oceanos”.

O projeto teve o objetivo de medir a quantidade de lixo plástico descartável produzido por um grupo de 14 estudantes e suas famílias. Para isso, os alunos levavam o lixo acumulado até à escola e, juntos, construíram um painel no portão da instituição.

“Queríamos ver o que realmente as famílias usavam de plástico. Foi um projeto super legal, e além da gente conseguir realmente medir o impacto de consumo plástico durante esse período, também vamos doar toda a quantidade acumulada para uma usina de reciclagem, para que esse lixo tenha o descarte correto”, diz Ana Cláudia Cruz, diretora pedagógica da escola e que também esteve na coordenação do projeto.

Com as ações de conscientização, o projeto foi atraindo a atenção de todos os outros alunos, que passaram a praticar hábitos sustentáveis. Um exemplo foi a aluna Eduarda Anderle Prado, do nono ano.

“Mudamos o canudo de plástico para o de metal, sacolas plásticas por retornáveis e aprendemos que quanto mais pessoas praticarem essas pequenas ações, podemos mudar o mundo para melhor”, conta Eduarda.

AS 10 FINALISTAS

Além da escola do Paraná, outras duas escolas são na Região Sul. Uma é de Alvorada, no Rio Grande do Sul, e outra fica em Itajaí, em Santa Catarina.

São Paulo domina a lista, com instituições de Campinas, Campos do Jordão, Cananeia, Itanhaém e Rio Claro. Para fechar, as cidades de Ribeirão das Neves, em Minas Gerais, e Águas Belas, Pernambuco, completam as finalistas.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="654370" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]