Escolas de Maringá suspendem aulas por falta de gás e combustível

A Prefeitura de Maringá, no noroeste do estado, informou na manhã desta sexta-feira (25) que suspendeu as aulas nas crec..

Andreza Rossini - 25 de maio de 2018, 11:13

A Prefeitura de Maringá, no noroeste do estado, informou na manhã desta sexta-feira (25) que suspendeu as aulas nas creches e escolas municipais do município devido a falta de combustível para o transporte escolar e de gás para preparar a merenda dos estudantes.

A paralisação deve continuar pelo menos até a próxima quarta-feira (23).

Segundo a administração municipal, são afetadas 63 creches e 51 escolas municipais e são servidas por dia cerca de 80 mil manifestações.

O desabastecimento é causado devido a greve dos caminhoneiros que começou na última segunda-feira (21). Nesta sexta (25) são 212 atos nas rodovias federais e estaduais que cortam o Paraná. A previsão é que o combustível acabe totalmente até a tarde de hoje. Vários setores são afetados pela greve dos caminhoneiros.

Veja a nota na íntegra

Alunos da rede municipal de ensino (51 escolas e 63 creches) não terão aulas na segunda, terça e quarta-feira da próxima semana. A decisão foi tomada na manhã de hoje pela Prefeitura de Maringá, por meio da Secretaria de Educação. A suspensão também envolve estudantes da rede estadual, conforme pactuado com o Núcleo Regional de Ensino (NRE). A medida foi precipitada pela escassez de combustível para abastecer a frota de vans e ônibus que fazem o transporte de estudantes e de gás, necessário para o preparo de merenda (diariamente são servidas 80 mil refeições). As aulas suspensas na próxima semana serão compensadas nos dias 27 de setembro, 16 de novembro e 21 de dezembro.