Estado é condenado a pagar diferença em salário de professores

Francielly Azevedo

professores

A juíza Rafaela Mari Turra, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, determinou que o Governo do Paraná pague a diferença salarial, com correção monetária, para os professores do regime de PPS (Processo Seletivo Simplificado) contratados pelo edital 72/2017 para o ano letivo de 2018. A decisão atende a um pedido da APP-Sindicato, que representa a categoria.

De acordo com a entidade, o edital previa que a cada 20 horas trabalhadas, o profissional receberia R$ 1226,73 e não R$ 1415,78 conforme os editais anteriores. Segundo a APP, ao perceber a irregularidade, o sindicato notificou a Secretaria de Estado de Educação (Seed) sobre a redução dos salários desses profissionais.

No entanto, o Governo do Estado decidiu manter os critérios de contratação. Diante disso, o sindicato entrou com ação judicial.  “Após esgotar toda a tentativa de dialogo sobre a imoralidade de reduzir os menores salários do funcionalismo, decidimos entrar pela via jurídica pedindo a suspensão do edital”, afirmou o secretário de Assuntos Jurídicos da APP-Sindicato, professor Mario Sérgio de Souza.

A magistrada também determinou que as custas e despesas processuais, além dos honorários advocatícios (fixados em 15% do montante da condenação), sejam pagos pelo Poder Executivo.

O Estado ainda pode recorrer da sentença. Por meio de nota, a Procuradoria-Geral do Estado disse que, quando for intimada, analisará a decisão e a possibilidade de interposição de recurso.

Previous ArticleNext Article
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="659900" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]