EstaR em papel fica sem uso a partir da próxima segunda em Curitiba

Todos os tal√Ķes do EstaR em papel deixar√£o de serem aceitos a partir da pr√≥xima segunda-feira (11) em Curitiba, sendo ne..

Redação - 06 de maio de 2020, 21:16

Valdecir Galor/SMCS
Valdecir Galor/SMCS

Todos os tal√Ķes do EstaR em papel deixar√£o de serem aceitos a partir da pr√≥xima segunda-feira (11) em Curitiba, sendo necess√°rio a utiliza√ß√£o do modelo digital.

O Estar Eletr√īnico j√° estava em uso desde o dia 16 de mar√ßo, sendo poss√≠vel ser comprado pelos aplicativos¬†Meu EstaR, Faz Digital Curitiba, El Parking, Zul EstaR Digital, EstaR Digital Zazul, Transitabile e Estacionamento Digital, dispon√≠veis nas plataformas Android e iOS.

Quem tem os tal√Ķes f√≠sicos do EstaR ainda pode troc√°-los por cr√©ditos at√© o dia 10 de junho na sede da Urbs (Urbaniza√ß√£o de Curitiba) na Rodoferrovi√°ria ou nas unidades das Ruas da Cidadania do¬†Carmo, Pinheirinho, Cajuru, Boa Vista, Fazendinha, Santa Felicidade, Tatuquara, Bairro Novo e Matriz.

Mas os interessados precisam fazer agendamento online pelo site¬†www.urbs.curitiba.pr.gov.br¬†para evitar aglomera√ß√Ķes durante a¬†pandemia do novo coronav√≠rus (Covid-19), com o atendimento sendo gratuito e realizado das 11h √†s 17h.

Para evitar a aglomeração de pessoas e a contaminação pelo coronavírus, é preciso agendar o atendimento pelo site da Urbs. O atendimento presencial é feito na sequência, das 11h às 17h. A troca é gratuita.

Devido ao coronavírus os pontos físicos de vendas não estão operando em sua capacidade máxima e podem ser conferidos no site www.urbs.curitiba.pr.gov.br.

A Prefeitura de Curitiba ainda não colocou prazo na instalação de totens para a venda automática de créditos, sendo que atualmente são disponibilizadas 12.088 vagas de estacionamento pelo serviço.

COMO FUNCIONA O ESTAR ELETR√ĒNICO?

Assim como funciona com o bloco de cart√Ķes do EstaR, os usu√°rios tamb√©m poder√£o comprar cr√©ditos pelos aplicativos e¬†armazen√°-los para utilizar¬†quando forem estacionar. Haver√° possibilidade de o usu√°rio receber desconto ao adquirir um n√ļmero maior de cr√©ditos.

Cada empresa de aplicativo terá sua política de descontos. A Urbs estabeleceu apenas o valor máximo que poderá ser cobrado pela fração de hora do estacionamento. O sistema de pagamento poderá ser por cartão e boleto bancário e os aplicativos também devem oferecer outros modelos de pagamento.

A novidade é que no novo modelo os créditos serão fracionados de quinze em quinze minutos. No modelo atual, o motorista paga a hora cheia, mesmo se usar a vaga por período menor. Com o EstaR digital, o usuário que usar menos de uma hora, por exemplo, terá o restante do tempo transformado em créditos para a próxima vez.

O preço da hora passa de R$ 2 para R$ 3 reais. Desde 2015, o EstaR não tinha o preço reajustado na cidade, porém o fracionamento trará economia para o motorista. O preço para 15 minutos é de R$ 0,75. Vale lembrar que um estacionamento privado no Centro cobra, em média, R$ 6 por meia hora e R$ 12 pela hora cheia.

A fiscalização permanece com agentes da Setran, que terão um dispositivo com geolocalização dos carros estacionados em cada área. Com isso, o agente poderá rapidamente saber se o veículo está estacionado irregularmente. A fiscalização se dá pela placa.

Quando o prazo do EstaR estiver para vencer, o sistema envia uma mensagem ao motorista, que poder√° renovar o tempo de uso, desde que limitado a duas horas. Caso tenha que mudar o carro de √°rea, uma nova compra ter√° que ser feita.

No EstaR Eletr√īnico, a regulariza√ß√£o da infra√ß√£o por estacionamento irregular ter√° os mesmos cinco dias √ļteis para ser feita, pelo site da Urbs, e¬†mediante o pagamento de R$ 30. Esse valor n√£o ser√° transformado em cr√©dito.