Estiagem deixa o Paraná em situação de emergência hídrica por 180 dias

Redação

Estiagem deixa o Paraná em situação de emergência hídrica por 180 dias

O governador do Paraná, Ratinho Junior, anunciou nesta quinta-feira (7) que o estado está em situação de emergência hídrica pelos próximos 180 dias devido ao agravamento da estiagem.

De acordo com o Simepar, o mês de abril apresentou déficit de chuvas em todas as regiões do Paraná com índices variando de 30% a 90% do total esperado nessas localidades.

Cidades como Curitiba, Ponta Grossa, Guarapuava, Foz do Iguaçu, Cascavel e Umuarama apresentam déficit de chuvas de mais de 30% desde o início do ano.

O Simepar ainda pontua que o período de estiagem no Paraná deve durar ao menos até setembro, com as estações do outono e inverno apresentando um clima seco e frio.

RACIONAMENTO AUTORIZADO DURANTE ESTIAGEM

O decreto de Ratinho Junior permite que as empresas prestadoras do serviço de água e esgoto estão autorizadas a adotarem medidas de racionamento para equilibrar a distribuição hídrica.

A Sanepar já vem adotando regime de 24 horas de suspensão no abastecimento de água em Curitiba e Região Metropolitana. Inclusive foi verificado altas quantidades de lixo no Parque Passaúna, localizado na capital paranaense.

“O Paraná atravessa a estiagem mais forte dos últimos 30 anos. Esse decreto permite ganhar agilidade nas ações por parte do Governo do Estado. Precisamos da consciência de todos para evitar o desperdício. Com todos colaborando, não vai faltar água para ninguém”, pontuou Ratinho Junior.

Ainda foi delimitado no decreto que a Seab (Secretaria da Agricultura e Abastecimento) deve tomar medidas para que os agricultores e pecuaristas do Paraná adorem medidas para ter maior eficiência no uso da água, incluindo ações de restrição na captação de água.

Previous ArticleNext Article