Estoque de combustíveis deve terminar até a tarde de hoje, diz sindicato

Andreza Rossini

O Sindicombustíveis emitiu nota na manhã desta sexta-feira (25) afirmando que o estoque de álcool e gasolina deve acabar em todos os postos de combustíveis de Curitiba até o final da tarde de hoje.  O número de postos que ainda tem os combustíveis “é mínima”, de acordo com o sindicato. Dos 340 postos da capital 90% não tem mais combustível.

Diesel e GNV, que tem demanda menor ainda está disponível em alguns postos. “Isto ocorre porque os maiores consumidores de diesel são os caminhões, que em sua maioria estão parados. Mas estes estoques também não tendem a durar muito tempo”, diz o sindicato.

Em Maringá, no noroeste do estado, alguns postos ainda tem álcool e em Cascavel, no oeste do Paraná, tem postos teriam conseguido receber gasolina na noite de ontem, mas o estoque é reduzido.

O Sindicato também retirou o apoio aos caminhoneiros devido ao acordo firmado ontem, que não foi cumprido. 


Transportes essenciais

Para manter ambulâncias, viaturas e outros serviços essenciais em funcionamento, o governo do Paraná firmou acordo com os grevistas para liberar caminhões com combustível.

Veja a nota na íntegra: 

Em Curitiba é mínimo o número de postos que ainda tem álcool e gasolina na manhã desta sexta-feira e os estoques não devem durar muito tempo. Com a falta de reabastecimento dos postos e a grande demanda, até de tarde a cidade deve estar completamente sem estoque destes dois combustíveis.

Apesar da divulgação de um acordo na noite de ontem, os bloqueios na refinaria de Araucária e nos centros de distribuição continuam.

A situação do diesel é um pouco melhor em Curitiba. Isto ocorre porque os maiores consumidores de diesel são os caminhões, que em sua maioria estão parados. Mas estes estoques também não tendem a durar muito tempo.

O GNV, que é fornecido na maioria dos casos por tubulação, ainda tem reservas maiores em Curitiba.

O Sindicombustíveis-PR reiterou hoje contatos com órgãos de segurança, no sentido de agir para garantir o direito de ir e vir e resguardar a segurança do transporte de combustíveis. Ofícios foram enviados para o governo do Paraná, Secretaria de Segurança Pública, Comando da Polícia Militar, Comando da Guarda Municipal e diretoria da Polícia Rodoviária Federal.

Não consideramos mais o movimento como uma greve, e sim um abuso completo. Ficou evidente que não há uma liderança definida. Um acordo foi firmado mas não há lideranças capazes de unir os caminhoneiros para se chegar a um consenso.

Pelo estado, informações mais recentes informam que:

Maringá – Alguns poucos postos ainda tem álcool.

Cascavel – Três postos teriam conseguido receber gasolina na noite de ontem, mas o estoque é reduzido.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook