Estrondo sentido em Londrina foi causado por terremoto, afirma USP

Os tremores sentidos pela população do bairro Jardim Califórnia, em Londrina, no norte do estado, na última sexta-feira ..

Redação - 19 de abril de 2016, 21:12

Os tremores sentidos pela população do bairro Jardim Califórnia, em Londrina, no norte do estado, na última sexta-feira (1º) foram causados por um terremoto. O abalo sísmico foi confirmado pelo laboratório de sismologia da Universidade de São Paulo (USP). Os geólogos da Universidade Estadual de Londrina (UEL) confirmaram o fato durante uma reunião convocada pelos moradores nesta terça-feira (5).

De acordo com a USP, o abalo sísmico teve 1,9 magnitude e aconteceu depois das 16h, na zona leste da cidade. O tremor foi sentido por moradores dos bairros Jardim Califórnia, Europa e Vila Brasil.

Embora os tremores estejam sendo relatados constantemente no último mês, essa é foi a segunda confirmação oficial de terremoto na cidade. A primeira confirmação aconteceu em 14 de dezembro, quando um tremor de 1,8 atingiu a região e causou rachaduras em ruas, calçadas e casas da região.

Para tentar identificar o problema, um grupo de técnicos da USP está em Londrina para iniciar uma nova etapa de investigações dos estrondos e tremores. A partir de sexta-feira (8), vão ser instalados sensores portáteis nos bairros que apresentam mais registros. Os aparelhos foram cedidos da USP para professores da UEL.

Segundo o geólogo Edison Archela, chefe do Departamento de Geociência da UEL, os terremotos podem ser causados por eventos naturais e também pelo homem. “Com o volume de dados que temos recebido, na minha percepção, o sismo não é natural.”

Para os moradores, a construção de uma adutora da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) é a principal hipótese para justificar a origem dos tremores, mas a companhia nega qualquer responsabilidade. “Não existe essa possibilidade. Os técnicos fazem acompanhamento 24 horas por dia. Todos os equipamentos de segurança necessários foram instalados”, afirma o gerente-geral da Sanepar, Sérgio Bahls.

NOTÍCIAS RELACIONADAS