Estudantes devem desocupar todas as escolas do Paraná até quarta-feira

Por Narley ResendeO número de escolas ocupadas no Paraná pode zerar até a quarta-feira (9). Em Curitiba, o Colégi..

Roger Pereira - 07 de novembro de 2016, 19:43

Por Narley Resende

O número de escolas ocupadas no Paraná pode zerar até a quarta-feira (9). Em Curitiba, o Colégio Estadual do Paraná – que é o maior do Estado -, o Instituto de Educação, e o Colégio Rio Branco, estão entre os que foram desocupados nesta segunda-feira. Todas as desocupações foram pacíficas e espontâneas, após perícias de oficiais de Justiça. No início da noite, um grupo de 150 estudantes fez uma passeata pelo centro da cidade, mesmo debaixo de chuva.

O Paraná tem duas mil e cem escolas; as ocupações representavam até esta segunda-feira 2,7% do total, ou 55 escolas. Todas as escolas ocupadas já tiveram mandados de reintegração de posse emitidos pela Justiça. Como o prazo é de 24 horas, é possível que até quarta-feira esse número seja zerado. Os alunos têm cumprido as decisões judiciais. Apesar disso, afirmam que as mobilizações vão continuar, com atos e manifestações nos próximos dias.

Até o fim de semana, em casos em que não havia notificação - ou a reintegração não havia sido emitida -, os estudantes das ocupações resistiram às tentativas de desocupação de movimentos contrários. No auge da mobilização estudantil, mais de 850 escolas estavam ocupadas no Paraná e mais de mil em todo o país. Desde o dia 24 de outubro, as unidades começaram a ser desocupadas. A maioria ocorreu por medida judicial.

Os alunos das ocupações são contrários à PEC 55 (antiga PEC 241), que congela por 20 anos gastos primários do orçamento da União, que estão fora da remuneração da dívida pública. O protesto começou com foco principal contra a reforma no ensino médio proposta via medida provisória. Os estudantes afirmam que, mesmo após as desocupações, a mobilização vai continuar, com atos e manifestações marcadas para os próximos dias. No dia 11 de novembro, escolas devem ter atividades regulares paralisadas para debater as medidas do governo que desagradam os estudantes.

Universidades ocupadas

Se por um lado as escolas estaduais estão sendo desocupadas, vem crescendo o número de universidades ocupadas. Pelo menos 15 municípios do Paraná têm ocupações em instituições de ensino superior federais e estaduais. Nesta segunda-feira, desde às 4 horas da manhã, estudantes de artes da Universidade Federal do Paraná dançaram sem parar ao longo do dia em um ato contra a PEC 55. A mobilização chamada de “20 Horas em Movimento contra 20 anos de Congelamento” durou até a meia-noite de hoje (segunda). Antes das 8 horas da manhã, os alunos usavam fones de ouvido para escutar as músicas enquanto dançavam, o que se repetiu a partir das 10 da noite.

O prédio de Artes da UFPR está ocupado por estudantes de Música e Artes Visuais desde o dia 27 de outubro. No último sábado, outra unidade, do prédio Histórico da UFPR, na Praça Santos Andrade, foi desocupada. A reitoria da Universidade afirmou em nota que os estudantes concordaram em deixar o local após uma longa reunião, realizada na última sexta-feira (4).

UNIVERSIDADES OCUPADAS: Universidade Estadual do Oeste (Unioeste) em Marechal Rondon, Toledo e Cascavel; dos campus da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) em União da Vitória, Paranaguá e Campo Mourão; da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) em Guarapuava, Irati e Coronel Vivida; da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), em Laranjeiras do Sul; da Universidade Estadual de Maringá (UEM), em Cianorte; da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em Curitiba e litoral; e da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).