‘Estuprei e dei dinheiro pra ela não falar’, diz homem que confessou matar enteada de 9 anos

Fernando Garcel

O padrasto de Sara Manuela Silva, de nove anos, encontrada morta no fundo de um vale em Londrina, no Norte do Paraná, confessou que estuprou e matou a menina em depoimento nesta segunda-feira (22). Ele teria oferecido dinheiro para que a criança não falasse sobre a violência sexual mas a menina disse que contaria para a mãe e então foi assassinada.

“Estuprei ela e depois dei um dinheiro pra ela não falar, sabe? Só que aí, ela falou que ia falar com a mãe. Aí eu fui e fiz essa loucura de matar”, contou Sandro de Jesus Machado, de 25 anos. Ele também contou que matou a menina enforcada. O homem afirma ainda que é “trabalhador” e se arrepende do crime. “Eu estou muito arrependido com o que fiz. Eu praticamente destruí a minha vida”.

Quando foi encontrada, a criança estava seminua com uma nota de cinco reais nas mãos. As investigações também revelaram que Sandro conheceu a mãe de Sara quando ela ainda estava grávida da menina e, portanto, participou de toda a criação da criança.

Detido na PEL 1, ele foi autuado em flagrante pelos crimes de estupro de vulnerável e feminicídio. O corpo da vítima foi enterrado nesta segunda-feira (22) no cemitério Jardim da Saudade, zona norte de Londrina.

Previous ArticleNext Article