Ex-policial que matou copeira é condenada a 14 anos de prisão

O júri reconheceu que o crime foi cometido por motivo fútil e que dificultou a defesa da vítima; ex-policial classificou a ação como "um erro".

Redação - BandNews FM Curitiba - 27 de maio de 2022, 07:38

Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

A ex-policial civil Kátia das Graças Belo foi condenada a 14 anos e três meses de prisão pela morte da copeira Rosaria Miranda da Silva. O julgamento no Tribunal do Júri, em Curitiba, teve início na tarde de quinta-feira (26) e se estendeu pela madrugada desta sexta (27). O júri reconheceu que o crime foi cometido por motivo fútil e que dificultou a defesa da vítima.

A sentença condenatória por homicídio duplamente qualificado foi proferida pelo juiz Daniel Ribeiro Surdi Avelar. A pena tem regime inicial fechado, mas a ex-policial civil pode recorrer em liberdade.

Rosaira Miranda foi atingida por um tiro na cabeça no dia 23 de dezembro de 2016, enquanto participava de uma confraternização de Natal no bairro Centro Cívico, na Capital, nas proximidades da casa de Kátia das Graças Belo. A então policial civil teria ficado irritada com o barulho e atirou contra o local, atingindo a cabeça da copeira. Ela chegou a ser levada ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos e morreu.

"FOI UM ERRO", RECONHECE EX-POLICIAL

Durante o interrogatório, Kátia classificou a ação dela como “um erro”. Ela lembrou que estava incomodada com o excesso de barulho da festa e usou o disparo como meio de chamar a atenção dos vizinhos, em busca de silêncio.

"Sem dúvida um erro, um momento de extrema insanidade. Claro, algo que pudesse voltar atrás, sem dúvida essa situação nunca me passou pela cabeça que estaria vivendo hoje, nem no meu pior pesadelo. Foi um momento em que eu queria silêncio, não foi intencional", disse a ex-policial.

Com informações da Bandnews Curitiba.