Exército mobiliza soldados para combate ao Aedes aegypti em Paranaguá

Andreza Rossini


Cerca de 400 soldados do Exército saíram de Curitiba nesta segunda-feira (30), em uma força-tarefa para ajudar no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya, em Paranaguá, no litoral do estado.

O município está em situação de epidemia de dengue. De acordo com os dados da Secretaria Municipal da Saúde, foram confirmados 15.492 casos da doença desde agosto de 2015. Em todo o Paraná, são 74 municípios nesta situação e 48.104 pessoas infectadas.

Os soldados devem ficar em Paranaguá até a próxima quinta-feira (2), removendo possíveis criadouros do Aedes aegypti e orientando a população. A prefeitura do município afirmou que também vai reforçar os agentes de endemias, agentes comunitários de saúde e de funcionários da Secretaria Municipal de Saúde para combater o mosquito.

Dengue

O último boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, na última terça-feira (24)  confirmou mais 2.622 novos casos de dengue no Paraná e cinco mortes em Assai (1), Londrina (2), Pérola D’Oeste (1) e Francisco Beltrão (1). O total de casos chegou a 48.104, desde agosto de 2015, quando o boletim começou a ser registrado. Já são 55 mortes em todo o estado, a maioria em Paranaguá (28) e Foz do Iguaçu (16), que já registraram, respectivamente, 16.150 e 9.477 casos confirmados. Em Curitiba, são 483 casos confirmados e duas mortes.

Os casos de chikungunya passaram de 66 para 68, sendo apenas cinco autóctones, ou seja, contraídos no próprio local de residência e os outros 63 importados. Os casos de zika foram de 288 para 296, dos quais 193 são autóctones e 103 importados. O número de gestantes infectadas pelo zika vírus também se manteve em 27. Até agora, sete delas já tiveram os bebês, em Colorado (5), Paranavaí (1) e Rancho Alegre (1). Não foram identificadas anormalidades neurológicas em nenhum deles.

Previous ArticleNext Article