Falsa enfermeira é presa com doses de vacinas contra a Covid-19, em Apucarana

Redação

Falsa enfermeira é presa com doses da vacina contra a Covid-19 em Apucarana

Uma falsa enfermeira foi presa com doses da vacina contra a Covid-19 em sua residência, no município de Apucarana, que fica na região norte do Paraná, neste sábado (15).

De acordo com o MPPR (Ministério Público do Paraná), a mulher, que havia sido admitida para trabalhar como voluntária na campanha de vacinação, foi identificada através de uma denúncia.

A falsa enfermaria teria oferecido doses da vacina contra a Covid-19 para pessoas fora dos grupos prioritários, estabelecidos pelo PNI (Plano Nacional de Imunização), pelo WhatsApp.

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão, agentes encontraram um frasco do imunizante Astrazeneca -com cinco doses- e outro de CoronaVac. A mulher foi presa pelo crime de peculato, podendo responder também pelos crimes de falsidade ideológica e infração de medida sanitária.

O MPPR informou que as investigações para esclarecer o possível envolvimento de servidores públicos na subtração das doses continua. Além disso, pessoas que receberam doses da vacina contra a Covid-19 pela falsa enfermeira em Apucarana também podem ser responsabilizadas.

CASO DE FALSA ENFERMEIRA EM APUCARANA, NO PARANÁ, VEIO À TONA NESTA SEMANA

O vereador Lucas Leugi, de Apucarana, denunciou ao MPPR a atuação de uma suposta “enfermeira voluntária” na aplicação de vacinas contra a Covid-19 no município nesta semana.

O parlamentar encaminhou provas ao órgão de que a falsa enfermaria estaria atuando e tentando comercializar vacinas através do WhatsApp. Depois da denúncia, o MPPR instaurou um procedimento administrativo, que culminou na prisão da mulher neste sábado.

A Autarquia Municipal de Saúde informou, por meio de nota, que tratou a mulher como técnica de enfermagem e negou que ela recebeu autorização para atuar na campanha de vacinação.

“A direção da AMS informa que muitas pessoas se prontificaram a ajudar voluntariamente na vacinação. Porém, diante do planejamento e dos rigorosos critérios cumpridos no processo, foi baixada uma portaria proibindo a participação de voluntários na recepção e conferência de documentos das pessoas a serem vacinadas, e também na aplicação das vacinas.” 

Na nota, também foi informado que a mulher foi afastada do sistema de vacinação drive-thru no Ginásio de Esportes Lagoão. A Prefeitura de Apucarana acrescentou que as doses e os frascos são conferidos.

“De acordo com os nomes das pessoas imunizadas, sendo instaurado, na mesma data, pela 2ª Promotoria de Justiça da comarca, que tem atribuição na área da saúde, procedimento administrativo para apuração dos fatos e eventual responsabilização dos envolvidos.”

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="764266" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]