Falso olheiro de futebol é condenado a 12 anos de prisão por tráfico de pessoas no PR

Redação

Falso olheiro de futebol é condenado a 12 anos de prisão por tráfico de pessoas no PR

Um falso olheiro de futebol foi condenado a 12 anos, sete meses e seis dias de reclusão por tráfico de pessoas pela Vara Criminal de Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba.

Conforme a denúncia do MPPR (Ministério Público do Paraná), o homem atraia os meninos em cidades do Mato Grosso, apresentando-se como “olheiro de clubes profissionais”, afirmando estar selecionando adolescentes para testes em times do Brasil e do exterior.

Em busca do sonho, as famílias aceitavam enviar os adolescentes com base nas promessas feitas e em relações de confiança, já que não havia contratos ou quaisquer outros documentos que estipulassem obrigações assumidas pelo falso olheiro de futebol.

Apenas com uma “autorização de moradia”, mediante pagamento de R$ 1 mil por mês e outras despesas, os adolescentes eram abrigados em Piraquara, na casa do réu (que não tinha alvará). Além disso, ele não apresentou contrato com quatro clubes que dizia representar.

Procurados pelo MPPR, os clubes de futebol (de duas cidades do Paraná e uma de Santa Catarina) negaram manter vínculos com o falso olheiro. O homem ainda mantinha as vítimas em “condição de submissão, valendo-se da força de trabalho do que seriam atletas em formação, de acordo com seus interesses”.

A denúncia foi apresentada em dezembro de 2020, após ação de busca e apreensão feita na casa do réu encontrar dez adolescentes abrigados em possível regime de servidão.

Casa usada pelo falso olheiro de futebol condenado por tráfico de pessoas em Piraquara, no Paraná
Casa usada pelo falso olheiro de futebol condenado por tráfico de pessoas em Piraquara, no Paraná (Divulgação/MPPR)

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="770292" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]