Família contesta versão da PM para morte de publicitário na Praça da Espanha

O suposto confronto entre policiais militar e um publicitário, que resultou na morte do homem na praça da Espanha, em Cu..

Ricardo Pereira - BandNews FM Curitiba - 13 de maio de 2019, 14:02

Foto: colaboração/ RedeNews
Foto: colaboração/ RedeNews

O suposto confronto entre policiais militar e um publicitário, que resultou na morte do homem na praça da Espanha, em Curitiba, deve ser investigado pela Polícia Civil. A família do publicitário Andrei Gustavo Francisquini, de 35 anos, contesta a versão da Polícia Militar (PM). Foi no começo da madrugada de domingo (12).

A polícia alega que o homem, que dirigia um carro em situação regular, desrespeitou a tentativa de abordagem e tentou fugir. Ao tentar entrar na Rua Fernando Simas, que fica ao lado da praça, deu a ré em direção a viatura e ainda teria apontado uma pistola para os policiais – que mataram Andrei.

É o que afirma o tenente Carassai, da Polícia Militar.

"A ocorrência começou próxima da Rua Vicente Machado e terminou na Praça da Espanha. O veículo em questão evadiu-se de uma abordagem da equipe policial em um determinado local. Posteriormente, o mesmo tentou jogar o carro contra os policiais, que desviaram. Ele até esboçou uma reação com a arma de fogo, entrando em confronto com a equipe policial. Foi neste momento que ele tentou fugir da abordagem, deu a ré, quase atropelando a maioria dos policiais", declarou o tenente.

O pai de Andrei é diretor do jornal Tribuna do Vale, de Santo Antônio da Platina, norte pioneiro do Paraná. Benedito Francisquini se manifestou pela internet, em uma postagem na qual diz:

“…pelo que conheço de meu filho, tinha aversão a armas e qualquer tipo de violência. Fica difícil acreditar que meu menino sacasse de uma pistola e reagisse contra vários policiais. Sinceramente, antevejo mais um desses casos sem solução. As câmeras nunca funcionam, as perícias nunca terminam e tudo acaba no esquecimento, num país acostumado com a impunidade”.

A PM, por meio de nota, afirma que, ao perceber que o motorista tentava fugir novamente, a equipe atirou no pneu do carro.

No entanto, o homem não parou e ainda bateu contra outro veículo. Por isso, os policiais atiraram novamente. A PM também diz que no dia 30/03, o mesmo veículo já havia fugido de uma abordagem policial, depois que o condutor foi visto atirando em via pública. E que em 2015, Andrei teria sido encaminhado à delegacia na cidade de Jacarezinho, interior do estado, por conduzir veículo com CNH cassada, quando também tentou fugir da abordagem.