Família de curitibana cria petição online para trazer cachorra de Barcelona para o Brasil

Ana Flavia Silva - BandNews FM Curitiba

ajudem a monica, petição online, bulldog francês, brasil, barcelona, família de curitibana

A família de uma curitibana que mora em Barcelona, na Espanha, enfrenta um impasse para retornar ao Brasil. Com passagens compradas e marcadas para amanhã (25), o casal teve negado o transporte da cachorra do filho, de três anos. A bulldog francês, de sete anos, chamada “Monica”, é o cão de assistência emocional da criança, que tem diagnóstico de Síndrome de Ansiedade Grave.

No entanto, por estar três quilos acima do peso permitido para embarque, ela não pode ser transportada na cabine do avião. A raça, braquicéfalico, característica de cães e gatos com o focinho achatado, também não tem permissão para ser levada como carga viva pela Tap Air, empresa escolhida para o traslado. Segundo Louanny Bueno Martins Guimarães, a relação do animal com o filho é fundamental.

“A Monica faz parte da nossa família desde os dois meses de idade. Ela é da minha mãe, que precisou retornar ao Brasil para cuidar do meu avô e teve que deixar a cachorrinha aqui porque o Logan (filho) não consegue ficar longe dela. Meu filho não está indo para a creche por conta da pandemia e nós não temos contato com crianças, ele não tem muitos amigos e a companhia dele é a nossa cachorra”, explica.

Louanny afirma que as passagens aéreas foram compradas pela mãe dela, que mora no Brasil. Na Espanha, ela e o marido têm enfrentado dificuldades financeiras e não têm mais condições de se manter no país. Por isso eles tomaram a decisão de voltar.

“A gente está se mudando porque meu marido ficou desempregado logo no início da pandemia e todas as poucas economias que tínhamos já acabaram. Estamos sobrevivendo com a ajuda de alimentação da prefeitura de Barcelona e devemos quatro aluguéis, não tem mais como ficarmos. Toda a nossa família está no Brasil e aqui estamos sozinhos”, desabafa.

Para fazer a cachorra perder os quilos excedentes e se enquadrar no peso exigido pela companhia seriam necessários pelo menos dois meses de “dieta especial” – tempo que o casal alega não ter, já que não consegue mais permanecer financeiramente no país. Eles chegaram a cotar outras companhias para fazer o transporte do animal. No entanto, o custo para a viagem é alto.

Além disso, segundo Louanny, o tempo de deslocamento é grande e por isso o ideal seria manter o cão próximo da criança.

“O valor do transporte está em torno de 1.600 a 3.000 euros. A gente não tem dinheiro para comer, para pagar o aluguel e nem para pagar o transporte da cachorrinha. O vôo daqui para o Brasil pode durar até 20 horas somando todas as conexões e tempo de espera em aeroporto, tem a questão emocional do meu filho que pode sofrer algumas crises por todo esse tempo longe dela”, diz.

Até mesmo o apoio do consulado brasileiro na Espanha foi solicitado, mas não houve retorno positivo. A reportagem da BandNews FM consultou uma especialista em transporte aéreo de animais. De acordo com ela, não existe na Europa uma lei que obrigue as companhias aéreas a realizarem o transporte de animais, mesmo que de suporte emocional.

Por isso, valem as regras que cada companhia define para prestar esse serviço. O impasse não tem solução: só seria resolvido caso a empresa abrisse uma exceção para levar o animal na cabine, mesmo com três quilos a mais. Para tentar sensibilizar a companhia, a família abriu uma petição online buscando coletar 2500 assinaturas de apoio.

Por meio de nota a companhia aérea se pronunciou e comentou que já havia decidido, assim como outras companhias, desde o dia 17 de Setembro de 2018 que não permite novas reservas para transporte no porão de animais como cães e gatos de focinho curto e achatado. Esta restrição deriva das características e limitações respiratórias deste tipo de animais que podem coloca-los em risco de vida.

Encontra informação sobre o transporte de animais de assistência emocional na TAP no site: https://www.flytap.com/pt-pt/viajar-com-animais/animais-de-assistencia?accordionid=1

link da petição: https://www.change.org/p/asociaci%C3%B3n-defensa-derecho-animal-ayuden-a-nuestra-bulldog-franc%C3%A9s-a-volver-con-nosotros-a-casa?recruiter=529204115&utm_source=share_petition&utm_campaign=share_for_starters_page&utm_medium=whatsapp&recruited_by_id=d0ccdd50-05e7-11e6-ab5d-f79a7f146677&utm_content=washarecopy_24230904_es-ES%3A2

Leia também: Veja qual é a única cidade do Paraná que não tem casos registrados da Covid-19

 

Previous ArticleNext Article