Febre amarela: número de macacos mortos sobe para 91 no Paraná

Redação

febre amarela, macaco, macacos, paraná, humanos, boletim, sesa, mortos, morto

Oito macacos foram encontrados mortos com o vírus da febre amarela no Paraná durante a última semana. O número total de primatas infectados passou de 83 para 91, de acordo com o boletim mais recente divulgado nesta quarta-feira (26) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde).

Conforme os dados atualizados, o número de notificações passou de 485 para 560. Além disso, 188 casos permanecem em investigação. De acordo com a Sesa, desde o início do período epidemiológico, outros 60 casos suspeitos foram descartados. Enquanto isso, 221 mortes foram consideradas “indeterminadas”.

De acordo com a Secretaria da Saúde, Ponta Grossa lidera as notificações. O município dos Campos Gerais do Paraná registra 32 mortes de macacos por febre amarela dentre os 91 confirmados em todo o estado.

“Os casos de macacos mortos sinalizam que o vírus está circulando no Estado, isso alerta para a necessidade de tomar a vacina contra a doença. A taxa de letalidade nos casos mais graves da doença é de 60%. Isso é muito preocupante, precisamos que a população entenda a necessidade e a importância da vacina na prevenção da doença”, alerta o secretário da saúde, Beto Preto.

FEBRE AMARELA AVANÇA NO PARANÁ

Conforme o boletim divulgado nesta quarta-feira (26) pela Sesa, seis novos municípios confirmaram pela primeira vez mortes de macacos com febre amarela.

São eles: Guarapuava, Campo do Tenente, Contenda São José dos Pinhais, Santa Maria do Oeste e Paulo Frontin (2).

CASOS EM HUMANOS

Desde o início do ano, nenhum caso de febre amarela em humanos foi confirmado no Paraná. No entanto, 16 suspeitas permanecem em investigação. Conforme a Secretaria da Saúde do Paraná, 76 notificações foram descartadas.

A febre amarela pode ser evitada por meio da vacina. As doses de imunização estão disponíveis gratuitamente na rede pública estadual. A vacina em dose única é indicada para pessoas com idades entre nove meses de idade e 60 anos incompletos.

Previous ArticleNext Article