Febre amarela: número de macacos mortos chega a 83 no Paraná

Redação

febre amarelFebre amarela foi registrada em 43 municípios do Paraná desde janeiroa, morte, mortes, macaco, macacos, paraná, sesa, secretaria estadual da saúde, vacina

A Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) confirmou 30 novas mortes de macacos no Paraná pelo vírus de febre amarela desde a semana passada. O boletim divulgado nesta quarta-feira (19) aponta que a epizootia (epidemia em animais) registra 485 casos em 77 municípios do estado desde julho de 2019.

Já que o último relatório apontava 53 mortes de macacos pela doença, o número de óbitos chega a 83. Ou seja, o crescimento foi de 56% em uma semana.

Além disso, 181 casos estão em investigação enquanto 51 já foram descartados. Por fim, outros 170 são indeterminados, ou seja, sem coleta de amostra para exames.

MORTES DE MACACOS POR MUNICÍPIOS

Confira a lista da quantidade de mortes de macacos por cada cidade do Paraná:

  • Castro – 12.
  • Ponta Grossa – 8.
  • Antônio Olinto – 8.
  • Lapa – 7.
  • São João do Triunfo – 7.
  • Mallet – 7.
  • São Mateus do Sul – 6.
  • Balsa Nova – 3.
  • Araucária – 2.
  • Piên – 2.
  • Cândido de Abreu – 2.
  • Sapopema – 2.
  • Piraí do Sul – 2.
  • Ipiranga – 2.
  • Rio Azul – 2.
  • Teixeira Soares – 2.
  • Prudentópolis – 2.
  • Mandirituba – 1.
  • Quatro Barras – 1.
  • Rio Negro – 1.
  • Palmeira – 1.
  • Imbituva – 1.
  • Campina do Simão – 1.
  • Turvo – 1.

VACINA DE FEBRE AMARELA

14.759 pessoas se vacinaram contra a febre amarela no Paraná em janeiro de 2020, de acordo com o PNI (Programa Nacional de Imunização). Conforme os dados, a maioria das doses foi aplicada em pessoas de 15 a 59 anos.

“Quando um macaco morre por febre amarela, indica que o vírus está presente naquela região. Portanto, é necessário uma atenção redobrada e a importância da vacinação deve ser reforçada para toda a população”, diz Beto Preto, secretário de Estado da Saúde.

Desde 2017, o Ministério da Saúde segue a orientação de ofertar apenas uma dose da vacina de febre amarela durante toda a vida. Contudo, no ano passado a pasta orientou os estados para que em 2020 seja dado um reforço da vacina para crianças com quatro anos de idade, devido à diminuição na resposta imunológica da criança que é vacinada muito cedo.

Previous ArticleNext Article