Febre amarela: Sesa confirma epizootia na Região Metropolitana de Curitiba

A Secretaria Estadual da Saúde informou no boletim semanal sobre a febre amarela uma nova epizootia em Piraquara, na Reg..

Redação - 17 de março de 2021, 19:58

Denis Ferreira Netto/SEDEST
Denis Ferreira Netto/SEDEST

A Secretaria Estadual da Saúde informou no boletim semanal sobre a febre amarela uma nova epizootia em Piraquara, na Região Metropolitana de Curitiba.

O período de avaliação da Secretaria Estadual da Saúde começou em julho de 2020 e já registrou 120 notificações de mortes de macacos em 30 municípios, sendo que 17 dessas epizootias foram confirmadas como febre amarela e outras oito estão em investigação.

Vale lembrar que os macacos não transmitem a febre amarela e que as mortes desses animais provocadas pela contaminação com o vírus, são utilizadas como indicadores para as autoridades sanitárias.

O ser humano é contaminado pelo vírus via os mosquitos transmissores da febre amarela, embora nenhum caso da doença tenha sido registrado em humanos neste ciclo epidemiológico.

“A epizootia sinaliza que o vírus está circulando. A secretaria já orientou as duas Regionais de Saúde para medidas preventivas, como busca ativa de pessoas não vacinadas contra a febre amarela, lembrando que em 2018 o Paraná registrou um óbito provocado pela doença, na região do Litoral, em pessoa não vacinada”, explicou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

LEIA MAIS: Curitiba volta para bandeira amarela e libera comércios aos domingos