Ferry-boat de Guaratuba opera com balsa emprestada e concessionária faz vistoria

Redação

ferry boat, ferry-boat, guaratuba, travessia, baía de guaratuba, br travessias, concessionária, balsa empresatada

A concessionária BR Travessias, responsável pelo ferry-boat de Guaratuba, recebeu do Governo do Paraná o empréstimo de um conjunto de balsa e rebocador para reforçar o trabalho e minimizar os danos causados aos motoristas, que chegaram a aguardar mais de duas horas pela travessia nesta quinta-feira (15).

Uma das embarcações da empresa foi interditada pela Marinha do Brasil, na terça-feira (13), após um acidente deixar a balsa à deriva na Baía de Guaratuba. Segundo a concessionária, o uso do barco foi liberado hoje após reparos e inspeção. No entanto, o rebocador San Belo, que faz parte do conjunto, ainda está em manutenção sem previsão de reparo.

Os problemas com o ferry-boat de Guaratuba aumentaram desde que a BR Travessias assumiu a concessão. O processo de licitação foi concluído pelo DER (Departamento de Estradas de Rodagem) no início de abril.

Atestando a incapacidade da concessionária em realizar o serviço para o qual foi contratada, o DER buscou socorro junto a antiga empresa prestadora do serviço. “A fim de assegurar uma travessia com segurança e em tempo hábil para todos os usuários, o DER realizou uma requisição administrativa de balsas localizadas na baía, e que não estão em uso, para integrarem o serviço da travessia de forma emergencial, até que a concessionária normalize o atendimento previsto em contrato”, disse o órgão, em nota.

FERRY-BOAT: GUARATUBA DECRETA ESTADO DE CALAMIDADE PÚBLICA

Devido à crise, o prefeito Roberto Justus (DEM) decretou estado de calamidade pública e prometeu tomar as medidas cabíveis. A BR Travessias foi notificada para a representação dos documentos necessários para o alvará, assim como os atestados de vistoria das embarcações e comprovantes das obrigações assumidas no contrato de concessão.

“Aquilo que num primeiro momento poderia parecer apenas um dissabor, em razão dos atrasos e das filas, extrapola todos os limites, oferendo risco à integridade física e à vida dos usuários”, afirmou o prefeito Roberto Justus, na terça-feira (13), após uma das embarcações que realizam a travessia ficar à deriva por 45 minutos até ser resgatada.

Em nota, a BR Travessias informou que vai cumprir com todas as exigências legais. Disse, ainda, que será apresentados até as 17h desta sexta-feira (16), todos os documentos e informações solicitados pela Prefeitura de Guaratuba.

A concessionária também confirmou o empréstimo do conjunto balsa e rebocador, oferecido pelo DER, e disse que aguarda a vistoria da Capitania dos Portos para reforçar a travessia. Até lá, o ferry-boat de Guaratuba é atendido por três balsas.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="775944" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]