Polícia encerra festa clandestina em chácara e prende organizadores no Paraná

Redação

Organizadores tinham obtido R$ 1,2 mil com as entradas de quase 200 convidados.
festa clandestina paraná polícia

Uma festa clandestina com cerca de 180 pessoas foi interrompida pela Polícia Civil do Paraná (PCPR) após denúncias da população. A ação aconteceu na madrugada deste domingo (18) dentro da chácara Holz, localizada em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba, e resultou na prisão de quatro pessoas.

Conforme o decreto estadual, é proibido a realização de festas durante a pandemia do coronavírus.

Segundo a polícia, a festa foi combinada em um grupo de WhatsApp e o número de presentes ultrapassava o limite da capacidade do espaço onde o evento foi realizado.

Dois homens e duas mulheres foram identificados como os organizadores do evento. Eles cobraram a entrada por R$ 20 para homens e R$ 10 para mulheres. No total, foram apreendidos R$ 1,2 mil de valores referentes às entradas. Além disso, o bar da chácara, com cardápio de cervejas e destilados, estava funcionando.

13 pessoas foram encaminhadas à Decrisa (Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Saúde) e os quatro organizadores foram presos.

Três deles já pagaram fiança e responderão em liberdade. Eles foram autuados por associação criminosa e infração de medida sanitária. Somadas, as penas desses crimes podem chegar a cinco anos de prisão. Já o outro suspeito permanece detido na Decrisa (Delegacia de Repressão aos Crimes contra a Saúde).

A delegada Aline Manzzato, que comandou a operação, concederá entrevista na manhã desta segunda-feira (18) conforme a assessoria da PCPR.

POLÍCIA INVESTIGA FESTAS CLANDESTINAS NO PARANÁ

Ao menos cinco festas clandestinas em todo o Paraná são sendo investigadas pela Polícia Civil.

Na última quinta-feira (13), o secretário estadual do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo, Márcio Nunes, estava em uma suposta festa no Instituto Água e Terra (IAT), órgão do governo estadual, em Umuarama, na região noroeste. Segundo denúncias de vizinhos, a sede estaria sendo palco para um churrasco. Contudo, o secretário nega e diz que cumpria agenda.

Já no decorrer desta semana, a polícia ouviu depoimentos sobre um evento com mais de 100 pessoas realizado no bairro Campo Comprido, em Curitiba. Diversos vídeos da festa foram compartilhados nas redes sociais e serviram nas investigações.

A Decrisa reforça o pedido para a população denunciar qualquer tipo de festa clandestina durante a pandemia do coronavírus pelos telefones: (41) 38837120 ou 181.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="699199" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]