Festival de Dança movimenta Londrina a partir deste sábado

A direção do Festival de Dança de Londrina, no norte do Paraná, divulgou a lista de espetáculos e apresentações da 14ª e..

Redação - 01 de outubro de 2016, 08:30

A direção do Festival de Dança de Londrina, no norte do Paraná, divulgou a lista de espetáculos e apresentações da 14ª edição. Com o tema “O Corpo em Gaia”, o festival traz reflexões sobre o impacto das ações humanas no meio ambiente e na esfera das relações, buscando a reconquista da ética no convívio. Em 2016, o Festival terá uma intensa programação de espetáculos e oficinas durante a mostra oficial que acontece a partir deste sábado (1º) e segue até o dia 9 de outubro, além de uma extensão no fim do mês, entre os dias 27 e 31.

“Este ano, temos uma grade artística e didática que celebra a diversidade de estilos, do hip hop ao clássico, pensando sempre na qualidade dos espetáculos e na troca de artistas locais com grandes nomes da área. A dança se coloca, cada vez mais, como uma linguagem permeável a outras artes e isso pode ser visto em toda a programação. Mantivemos os ingressos a preços acessíveis para que, de fato, tenhamos em Londrina 14 dias de festa democrática, de celebração da arte do movimento”, explica Danieli Pereira, coordenadora geral do Festival.

Atrações

Capturar.JPGaA Cia Urbana de Dança, grupo carioca incensado pela crítica da Europa e dos Estados Unidos, dá largada à programação sob o signo da resistência, apresentando as coreografias “ID: Entidades” e “Na pista”. O multiartista francês Christian Rizzo, pela primeira vez em Londrina, fecha a extensão com “Sakinan Göze Çöp Batar”, em uma parceria do Festival com o projeto FranceDanse, o Institut Français e a Embaixada da França no Brasil.

“Dezuó – Breviário das Águas”, do Núcleo Macabéa, de São Paulo (agendado para 5 de outubro, na Usina Cultural) apresenta um menino de uma comunidade ribeirinha exilado das margens do rio pela construção de uma usina hidrelétrica. A montagem indicada ao Prêmio Shell nas categorias dramaturgia e cenário traz para Londrina uma verdadeira instalação cenográfica, onde o público será acomodado para acompanhar a inundação das terras e dos sentimentos do protagonista.

O degredo territorial ou existencial perpassa as montagens “Sakinan Göze Çöp Batar”, solo do bailarino Kerem Gelebek, da França, e “Angústia”, da Mênades & Sátiros Cia de Teatro (Presidente Prudente - SP), programada para o dia 4, no Circo Funcart. São obras que, em alguma medida, sugerem a melancolia da vida em sociedade e a dificuldade de comunicação e de coexistência.

“Porque Somos Mutantes”, que a Fragmento Cia de Dança (SP) apresenta no Circo Funcart no dia 6, inspira-se nas esculturas do artista plástico Jason Decaires Taylor, que mergulha suas obras no mar para que a natureza se encarregue de transformá-las. Um mote para pensar as ações que independem de nossas vontades, a transitoriedade da existência.

Os ciclos da vida, simbolizados pela sabedoria da terceira idade, atravessam “Yolanda Calaboca”, remontada por veteranos da Casa das Fases (Londrina) especialmente para esta edição do Festival, e “Compêndio para Velhice”, do grupo paulistano Cia Oito Nova Dança. Os espetáculos, juntos, compõem uma noite especial e emocionante na programação (7 de outubro, no Circo Funcart).

Ao longo desses dias em torno da arte do movimento, o público poderá conferir ainda o virtuosismo técnico da São Paulo Companhia de Dança no grand pas de deux de “Corsário” (9 de outubro, no Teatro Mãe de Deus), e surpreender-se com a EF Jazz Company, de Curitiba (PR), revelação na linguagem do jazz contemporâneo com “Entre o Véu das Vozes” (8 de outubro, no Teatro Mãe de Deus).

O Festival também festeja os talentos da terra: o anfitrião Ballet de Londrina, com a remontagem de “Decalque”, sua obra mais aclamada por especialistas (2 de outubro, no Teatro Mãe de Deus); a Escola Municipal de Dança, que se destaca no cenário nacional pela excelência na formação de bailarinos (9 de outubro, no Mãe de Deus, com o 2º ato de “Giselle”); artistas independentes, que exibem suas performances na mostra “Dança Londrina” (dia 3, no Circo Funcart), e o talento ascendente dos clowns londrinenses, representado pela Cia Os Palhaços de Rua (dia 8, na arena do Zerão).

A programação completa está disponível no site do evento.