Ampliação da pista do Aeroporto de Foz do Iguaçu custará R$ 53,9 milhões

Redação

foz aeroporto pista

A ampliação da pista de pouso e decolagem do Aeroporto Internacional das Cataratas, em Foz do Iguaçu, vai custar R$ 53,9 milhões e ficará pronta em 2021. O governo do Paraná informou o valor nessa segunda-feira (3), após o governador Ratinho Junior ter incluído a modernização no pacote de investimentos da Itaipu Binacional e da Infraero em agosto do ano passado.

O extrato do contrato da licitação do projeto foi publicado hoje no Diário Oficial da União e o prazo de execução é de 515 dias a partir da assinatura da ordem de serviço, que deve acontecer ainda em fevereiro.

Além disso, 0 IAT (Instituto de Água e Terra) já emitiu as licenças necessárias para o início da operação, tornando a Dalba Engenharia e Empreendimentos, de Guarapuava, a empresa responsável pelas obras.

“É mais um importante passo para tornar o aeroporto de Foz do Iguaçu apto a receber voos internacionais mais frequentes, uma conquista que impactará a economia de toda a região. Vai valorizar ainda mais o principal destino turístico do Estado, incrementar o comércio e atrair investimentos”, celebrou Ratinho Junior.

Segundo o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, a ampliação permitirá a abertura de novas rotas no continente, reforçando o papel do Estado como hub logístico do cone sul. “É uma notícia importante não só para Foz do Iguaçu, mas para o Paraná e o Brasil. Essa conquista pode elevar as Cataratas do Iguaçu como principal destino de estrangeiros no país”, ressaltou.

OBRAS NO AEROPORTO DE FOZ DO IGUAÇU

A pista do Aeroporto Internacional das Cataratas, em Foz, tem 2.195 metros de comprimento por 45 metros de largura, mas é considerada curta para decolagem de voos de longa distância. Hoje não é possível decolar com o tanque cheio, o que impossibilita voos diretos para os Estados Unidos e Europa, por exemplo.

Contudo, a nova pista terá 2,8 mil metros, 605 metros a mais que a atual. Além disso, será aplicada uma camada de revestimento de Stone Matrix Asphalt (SMA), que dá ganho de performance de 20% às aeronaves, o que permite autonomia de voos para locais como Miami, Nova York, Lisboa e Madri.

As obras incluem, ainda, melhorias na área de check-in, ampliação das salas de embarque e desembarque, implantação de escadas rolantes, carrosséis de bagagem, novos elevadores e quatro pontes de embarque (fingers). Esse conjunto deve aumentar a capacidade do aeroporto de 2,6 milhões para 5 milhões de passageiros ao ano.

ITAIPU

A Itaipu será responsável por aportar R$ 43,1 milhões (80%) dos recursos, conforme o protocolo de intenções assinado entre a binacional e a Infraero. Esse investimento se soma a outros R$ 15,5 milhões aplicados na duplicação da ligação entre o aeroporto de Foz e a BR-469 e na ampliação do pátio de manobras de aeronaves.

Além disso, o aeroporto será o primeiro do Brasil com um conceito sustentável. Para isso, haverá geração de energia por painéis fotovoltaicos, gestão de resíduos sólidos e captação da água da chuva.

Por fim, vale ressaltar que o Aeroporto de Foz do Iguaçu está dentro do pacote de concessões do governo federal, que engloba, ainda, os aeroportos de Curitiba (Bacacheri), São José dos Pinhais (Afonso Pena) e Londrina. O bloco sul agrupa as concessões de dois aeroportos em Santa Catarina e três no Rio Grande do Sul. Com o aumento da pista e as demais obras, a expectativa é de que o aeroporto suba de categoria e passe a valer até R$ 1 bilhão a mais.

**com informações da Agência Estadual de Notícias.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="681998" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]