Foz do Iguaçu recebe unidade móvel de testes de HIV

Mariana Ohde


Desde a última sexta-feira (5), a população de Foz do Iguaçu e região conta com um novo local para fazer testes rápidos de HIV: é a unidade móvel do projeto “A Hora é Agora – Testar nos Deixa mais Fortes”, implantado pelo Governo do Paraná em parceria com a prefeitura municipal, a Fiocruz e o CDC Brasil.

Neste mês de agosto, o trailer itinerante ficará na Praça das Nações (Mitre), com atendimento às sextas e sábados, das 18h às 22h. Em seguida, a unidade será instalada também no pátio do câmpus da Unila e depois na Rua Batatais, no bairro Morumbi.

A iniciativa pretende ampliar o diagnóstico precoce do HIV e reduzir os índices de circulação do vírus na tríplice fronteira. “Trata-se de um projeto inovador, focado principalmente nos jovens gays e nos homens que fazem sexo com homens. Após um estudo detalhado da região, percebemos que é preciso trabalhar de forma mais efetiva com este grupo que apresenta alto grau de vulnerabilidade em relação à transmissão”, explicou a superintendente de Vigilância em Saúde, Cleide de Oliveira.

Apesar de estar focado em um público-alvo específico, o exame estará disponível a toda a população de forma gratuita. O processo é simples e rápido, levando em torno de 40 minutos para ser finalizado. É necessário apenas uma gota de sangue, retirada do dedo da pessoa. Caso o resultado dê positivo, o paciente é encaminhado imediatamente ao serviço de saúde de referência para o tratamento.

Atualmente, Foz do Iguaçu é o município com a segunda maior incidência de casos de HIV no Paraná – atrás apenas de Paranaguá, cidade portuária. “Temos uma realidade diferente das demais regiões do Paraná. A tríplice fronteira faz com que milhares de pessoas de fora circulem em Foz diariamente, o que aumenta o risco de transmissão de doenças”, destacou o chefe da 9ª Regional de Saúde, Ademir Ferreira.

Projeto

Iniciado em Curitiba em 2014, o “A Hora é Agora” traz uma nova estratégia para o combate à epidemia da aids. O serviço itinerante faz o diagnóstico e de imediato vincula o paciente a um serviço de saúde. Além disso, incorpora a figura do “linkador”, um profissional envolvido na comunidade que tem o papel de facilitar o acesso do usuário ao diagnóstico e à assistência adequada.

“Com o tratamento, é possível que o paciente com HIV reduza sua carga viral a níveis indetectáveis. Isso tem um impacto direto na qualidade de vida da pessoa, além de diminuir drasticamente o risco de transmissão ao parceiro”, declarou a coordenadora nacional do projeto, Marly Cruz.

O trailer itinerante do projeto tem capacidade para atender em média de 30 a 40 pessoas por dia. Além de ofertar o exame, os profissionais de saúde também dão orientações sobre hábitos saudáveis, prevenção das doenças sexualmente transmissíveis, distribuem materiais educativos e preservativos.

Ao todo, 2,4 mil casos novos de HIV são diagnosticados anualmente no Paraná. O número de casos novos de aids chega a 1,4 mil por ano. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Foz, somente em 2015, 145 casos de HIV/Aids foram notificados na cidade, 16% a mais que no ano anterior.

Previous ArticleNext Article
Repórter no Paraná Portal
[post_explorer post_id="377541" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]