Frigoríficos fecham e demitem 300 no Paraná

Os frigoríficos Souza Ramos e Master Carnes, ambos em Colombo (PR), na região metropolitana de Curitiba, e citados na op..

Narley Resende - 23 de março de 2017, 08:38

Os frigoríficos Souza Ramos e Master Carnes, ambos em Colombo (PR), na região metropolitana de Curitiba, e citados na operação Carne Fraca, anunciaram ontem que deram aviso prévio aos cerca de 300 funcionários e encerram as atividades por tempo indeterminado.

As empresas, que têm acionistas em comum, alegam que o fechamento é um reflexo direto da operação da PF (Polícia Federal), já que todos os clientes cancelaram suas compras após saberem do envolvimento das marcas na investigação.

“A situação já não era das melhores, mas esse ‘boom’ de sexta-feira de fato acabou com a gente”, diz Ednandes Santos, coordenador de vendas e marketing do Master Carnes.

O caso do Souza Ramos foi um dos que mais repercutiram na operação: segundo a PF, a empresa fornecia salsichas de frango – em vez de peru, como previa a licitação – para merendas escolares no Paraná. O Master Carnes, por sua vez, está sob suspeita de injeção de líquido em frangos.

Os sócios e funcionários dos locais não chegaram a ser presos; apenas foram levados a depor sob condução coercitiva.

Após a operação, o Ministério da Agricultura interditou três dos 21 frigoríficos citados pela PF e permitiu que os demais continuassem funcionando, mas com restrições. Além de submeter todos a auditorias, o ministério informa que “nenhuma carne sai destas plantas sem inspeção”.

Outros frigoríficos investigados foram procurados pelo Metro Jornal para avaliar o impacto financeiro após a operação. Alguns, como o frigorífico Argus, de São José dos Pinhais (PR), também na região de Curitiba, informaram que os danos comerciais foram limitados.

“Continuamos vendendo o mesmo volume. Imediatamente após a notícia, houve sim alguns poucos cancelamentos, mas logo revertidos e/ou restabelecidos”, diz nota do estabelecimento.

Prejuízos

O Ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou ontem que o Brasil exportou na última terça apenas US$ 74 mil em carnes, uma queda vertiginosa diante da mé- dia diária de US$ 63 milhões.

Pelo menos dez países já anunciaram restrições à carne do Brasil; em alguns casos a suspensão de importações é integral, e em outros, limitadas aos 21 frigoríficos investigados. Ontem, África do Sul, Bahamas e Barbados se juntaram a Chile, México, Jamaica, Trinidad e Tobago, Suíça, China e Hong Kong, além da União Europeia.