Funcionário de aeroporto despachava drogas para outros estados, aponta PF

Andreza Rossini

Dez pessoas foram presas na manhã desta quinta-feira (14), durante a Operação Duelo da Polícia Federal, deflagrada para desarticular três grupos criminosos que atuavam no tráfico internacional de drogas.

De acordo com o agente da PF, Anderson Lima, um dos três grupos investigados na ação utilizava o aeroporto de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, para o tráfico de haxixe. “Um funcionário terceirizado, que trabalhava na área de rampa, colocava as drogas dentro da bagagem do passageiro depois que ela já havia sido pesada e despachada”, explicou.

Segundo a PF, os passageiros tinham consentimento da inclusão da droga. “A mala tinha um peso na origem e outro no destino, então o passageiro poderia alegar que não tinha envolimento com o crime”, explicou.

A prática foi descoberta pela polícia em 2016, no início da operação. O funcionário já foi demitido do cargo.


No decorrer da investigação, segundo a PF, foram identificados três núcleos criminosos que estiveram envolvidos em apreensões realizadas em diversas regiões do país.

Foi descoberta a atuação destes grupos em fatos relacionados a apreensões de maconha e de haxixe em Foz do Iguaçu e Céu Azul, no Paraná, Gravataí, no Rio Grande do Sul, e no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo.

Balanço

Duas pessoas ainda não foram encontradas pelos policiais e são consideradas foragidas. A PF também apreendeu R$ 7,2 mil em espécie e um veículo. Os mandados foram cumpridos em Foz do Iguaçu, Curitiba e Campinas (SP).

Entre os dez presos, alguns já estavam detidos por outros crimes e atuavam de dentro dos presídios, ainda de acordo com a Polícia Federal.

Desde o início das investigações, foram apreendidos 320 kg de maconha e haxixe, segundo a PF.

Post anteriorPróximo post
Comentários de Facebook