Pesquisa Fura-Catraca aponta queda nas invasões do transporte público em Curitiba

Redação

fura-catraca- onibus pesquisa

 

Pesquisa divulgada na manhã desta sexta-feira (20), pelas Empresas de Ônibus de Curitiba, aponta uma economia de  R$ 1.250.000 no ano, com ações efetivas pra evitar os chamados “fura-catraca“.

Em novembro de 2018 foram 2.617 invasões em estações tubo na cidade e em novembro de 2019 foram 1.795, o que representa uma queda de 31%.

Para Luiz Alberto Lenz César, diretor-executivo das Empresas de Ônibus de Curitiba, a queda representa um importante benefício para os usuários de transporte coletivo.

“Nós fazemos um trabalho estratégico de inteligência em  que nós  vamos acompanhando cada uma das estações que tinham maiores problemas de fura-catraca e essas ações foram intensificadas, juntamente com a Guarda Municipal e com a Polícia Militar.  Com isso, conseguimos inibir as pessoas a não furarem catraca. A conscientização da população aumentou isso fez com que eles pudesse entender cada vez mais que furar catraca é crime”, afirmou.

Segundo Luiz Alberto, com a economia feita as empresas puderam adquirir mais biarticulado zero km.

A pesquisa ainda aponta quatro tipos de invasores: estudantes, passageiros comuns, torcedores e tribos urbanas/gangues. Em um ano, o número de estudantes que invadiam as estações caiu 31% já o número de passageiros comuns caiu 33%. A pesquisa aponta que houve um aumento de 19% de invasões de torcedores e 54% de tribos urbanas/gangues.

A estação-tubo Passeio Público (sentido Terminal Santa Cândida), que era a mais invadida em novembro de 2018, caiu para o 15º lugar em agosto de 2019 e para 16º em novembro deste ano.

A estação-tubo Fanny, sentido Pinheirinho, e a mesma estação, sentido Carlos Gomes, ocupam, respectivamente, o 1º e o 2º lugar no ranking das mais invadidas.

Previous ArticleNext Article