Gaeco cumpre mandados contra suspeitos de fraudar licitações no PR

Fernando Garcel

empresas investigadas

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, cumpriu quatro mandados de prisão preventiva – quando não há prazo para liberdade do suspeito – e 16 mandados de busca e apreensão em Londrina, Bela Vista do Paraíso e Alvorada do Sul, em órgãos da prefeitura de Alvorada, empresas e residências, na manhã desta quinta-feira (20) no âmbito da Operação Perímetro.

A investigação conjunta do Gaeco e do Grupo Especializado na Proteção do Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria) apura indícios de organização criminosa integrada por empresário, particulares e servidores públicos municipais do setor de licitações, da procuradoria jurídica e da Secretaria de Finanças de Alvorada do Sul.

Segundo o Ministério Público do Paraná, o esquema manipulava licitações para limitar a participação de empresas concorrentes, direcionando os editais para a vitória das empresas do empresário envolvido.

Para evitar ampliação da concorrência, a organização aproveitava-se da existência de um decreto municipal que limita a participação, em licitações, de empresas com sedes a mais de 50 km do município. As licitações direcionadas eram relacionadas principalmente à Fundação Municipal de Saúde de Alvorada do Sul.

Nos últimos quatro anos, a empresa envolvida no esquema, constituída em nome de “laranjas”, venceu 17 certames licitatórios cujos objetos envolveram valores acima de R$ 2,5 milhões apenas com a Fundação Municipal de Saúde. O empresário, dono de fato da empresa, participava ainda de licitações com outra empresa da qual é o proprietário

Previous ArticleNext Article