Gaeco cumpre mandados no Norte do Paraná em investigação de fraude em licitações

Redação


O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) cumpre na manhã desta quinta-feira (17) 12 mandados de busca e apreensão em Arapongas e Maringá, na região norte do estado.

As investigações do Ministério Público do Paraná (MPPR) tiveram início em 2017 e apuram crimes de fraude à licitação, corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro com possível constituição de organização criminosa, supostamente envolvendo servidores do município, empresários, e ainda ex-presidente da Câmara Municipal de Arapongas.

Os mandados da segunda fase da Operação Control Z foram expedidos pelo Juízo Criminal de Arapongas. Dos 12 mandados cumpridos hoje, três acontecem em gabinetes de servidores na Câmara Municipal de Arapongas, e os demais em residências e escritórios das empresas investigadas.

Conforme o MPPR, a apuração é baseada em contrato firmado pela Câmara de Arapongas com uma empresa sediada em Maringá, contratada em 2013 para digitalização de documentos da casa legislativa.

Segundo as investigações, os empresários envolvidos efetuavam pagamentos de propina ao grupo, para manterem o contrato e obterem aditivos. Há indicação do pagamento de valores que supostamente chegaram a R$ 22 mil, por vários meses, entre 2015 e 2016.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="734862" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]