Policiais rodoviários estaduais suspeitos de cobrar propina são investigados pelo Gaeco

Os policiais rodoviários estaduais são suspeitos de cobrar propina para o transporte de mercadorias contrabandeadas no estado.

Redação - 29 de abril de 2022, 11:05

Foto: Divulgação/PMPR
Foto: Divulgação/PMPR

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em conjunto com a Corregedoria da Polícia Militar, cumpre nesta sexta-feira (29) mandados de busca e apreensão contra policiais rodoviários estaduais suspeitos de cobrar propina para o transporte de mercadorias contrabandeadas no Paraná.

Ao todo, 13 mandados estão sendo cumpridos nas residências dos investigados, nas cidades de Cruzeiro do Oeste, Umuarama, Iporã, Goioerê, São Jorge do Ivaí, Ângulo, Londrina, Iguaraçu e Peabiru. Conforme o Gaeco, também foram expedidos três mandados de busca e apreensão em armários de policiais nos postos da Polícia Rodoviária Estadual em Iporã, Iguaraçu, Peabiru e Assis Chateaubriand.
.

Foto: Divulgação/PMPR

A medida, deferida pelo Juízo da Vara da Auditoria Criminal de Curitiba, busca o recolhimento de aparelhos celulares, documentos, computadores, valores em espécie e objetos ilícitos eventualmente em poder dos policiais investigados, para auxiliar na apuração de possíveis crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Realizadas pelos núcleos regionais do Gaeco de Cascavel e Londrina, as investigações começaram em dezembro de 2020, a partir do compartilhamento de provas obtidas da Vara Federal de Umuarama. Há indícios de que policiais rodoviários estariam cobrando propina de transportadores de mercadorias contrabandeadas, e alguns deles estariam utilizando parentes para ocultar a origem dos valores obtidos ilicitamente.