Goura e Dartora se revoltam com despejo de famílias em Curitiba; Greca responde

Redação

goura dartora greca prefeitura de curitiba cic despejo

O deputado Goura Nataraj (PDT) e a vereadora eleita Carol Dartora (PT) se revoltaram contra o despejo de famílias na Cidade Industrial de Curitiba registrado na manhã desta quinta-feira (17), em meio à pandemia de coronavírus. A ação da PMPR (Polícia Militar do Paraná) foi um cumprimento de mandado da Justiça, que determinou reintegração de posse da área particular. O prefeito de Rafael Greca, após diversas cobranças nas redes sociais, também falou sobre o assunto.

“Desumano e inaceitável o que aconteceu na Cidade Industrial de Curitiba: mais de 300 famílias tiveram suas casas destruídas na região do Sabará, em plena véspera de natal e no auge da pandemia no Paraná”, afirmou Goura. “Quando falta humanidade, a crueldade transborda”, completou Dartora.

Segundo Goura, o despejo aconteceu mesmo sem assistência social por parte do poder público, o que foi requerido anteriormente. Além disso, ainda rebateu que as propagandas da prefeitura de Curitiba têm mostrado as festas de Natal enquanto a realidade da cidade é outra.

Prefeito Rafael Greca e governador Ratinho Junior: em pleno pico da pandemia e com previsão de chuva forte, essas pessoas precisam de acolhimento PRA HOJE! A responsabilidade por esta ação desmedida é de vocês!”, completou Goura.

GRECA DIZ QUE NEGOCIAÇÃO NÃO COUBE À PREFEITURA DE CURITIBA

Rafael Greca (DEM) reagiu após o assunto ser muito comentado nas redes sociais. Segundo o prefeito, a área não pertence à prefeitura de Curitiba e as informações devem ser prestadas pelo governo do Paraná.

“A área não pertence à Prefeitura de Curitiba. É particular (herdeiros de João Knaut). A reintegração de posse e a ordem de despejo foi dada pela Justiça do Estado e cumprida pela Polícia Militar. Portanto, a negociação não coube à Prefeitura e as informações devem ser dadas pelo Governo do Estado”, disse Greca.

Apesar disso, o prefeito de Curitiba ainda revelou que equipes da FAS (Fundação de Ação Social), SMS (Secretaria Municipal da Saúde) e o Conselho Tutelar acompanharam as ações na CIC e que ofereceram abrigo e acolhimento às famílias.

“Seis famílias decidiram voltar para as suas casas, mas informaram à FAS que precisavam de alimentos. Liberamos crédito alimentar para compras nos Armazéns da Família. Muitas famílias já são acompanhadas pela FAS, no Cras Corbélia, instalado na região. Parte das famílias é de Araucária.Todas as famílias também foram convidadas para serem atendidas assim que desejarem”, completou Greca.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="734923" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]