Governo descumpre ordem de esvaziar celas

Narley Resende


Metro Jornal Curitiba

Após determinação judicial na última semana, a carceragem da delegacia de Almirante Tamandaré, na região metropolitana de Curitiba, deveria ter sido esvaziada ontem, mas os presos não foram transferidos.

A ordem de fechamento havia sido motivada pela superlotação e pela fuga de dois homens na semana passada. Segundo a juíza Inês Zarpelon, a regra “de que dois corpos não ocupam no mesmo espaço é excepcionada” na unidade, já que havia 36 presos em um espaço onde cabem apenas seis, divididos em duas celas.

O caso é parte de uma briga entre o governo do Estado e a Polícia Civil, que tem exigido a retirada dos quase 9,5 mil presos (um terço do total) que hoje estão em celas de delegacias, e não em presídios.

Segundo a Adepol (Associação dos Delegados da Polícia Civil), 971 presos já fugiram de carceragens de polícia em 2017. A associação instalou um “fujômetro” (placar que contabiliza as fugas) em frente à sede da entidade, no bairro Mercês.

Em nota, a Sesp não explicou porque a ordem não foi cumprida, mas informou que “tem trabalhado para reduzir o número de presos em delegacias” com transferências e uso de tornozeleiras eletrônicas.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="456833" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]