Governo deve reencaminhar emenda após continuidade da greve

Redação


(Com informações de Andressa Tavares, da CBN Curitiba)

O governo do Paraná será comunicado oficialmente pelo sindicato dos professores na segunda-feira (24) sobre a  continuidade da greve da categoria. Nesse sábado (22), professores decidiram em assembleia permanecer de braços cruzados. A votação foi apertada, com apenas cinco votos de diferença.

Na quinta-feira (21), o secretário da Casa Civil, Valdir Rossoni, havia dito que o governo tomaria “todas as medidas necessárias” para encaminhar a emenda que congela reajuste dos servidores caso não houvesse recuo da categoria.

A paralisação foi deflagrada no último dia 17 em razão da proposta do Executivo de revogar o pagamento do reajuste salarial do funcionalismo – é a reposição da inflação acordada no ano passado, em meio à outra paralisação.

O Palácio Iguaçu diz que não tem dinheiro pra honrar o compromisso assumido.

O presidente da APP Sindicato, Hermes Leão, critica a sugestão do governador Beto Richa (PSDB), de retirar a emenda da Lei de Diretrizes Orçamentárias, após o retorno dos professores às salas de aula, mas com a possibilidade de reapresentá-la, caso as negociações não prosperem, no sentido de encontrar um caminho para quitar a dívida sem comprometer  o caixa.

“O governo se propôs a retirar, mas ficou reforçando que não via alternativas e que no final das contas poderia voltar ao mesmo texto também foi entendido como um gesto de muita má vontade de realmente fazer o debate econômico e financeiro por parte do governo”, disse Leão.

“Então é um conjunto de situações em que a falta de mediação adequada dos integrantes do governo em vez de ajudar a distensionar e trazer um pouco mais de tranquilidade, eles mais desestabilizam no conjunto de descontentamento dos servidores com a linha de gestão deste governo”, reclama.

Na terça-feira  (25), o comando de greve tem reunião para organizar os próximos passos do movimento. Um dia antes, representantes da categoria vão até a Assembleia Legislativa pedir apoio dos deputados.

‘Todas as medidas necessárias’

O secretario chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni (PSDB), havia falado na semana passada sobre abertura de diálogo com os servidores , mas admitiu falta de espaço pra negociação. 

“Nós, do governo, que conhecemos a situação financeira do Estado, não vemos muito espaço para negociação. Mas que para que não usem que o governo não abriu mais espaço para negociação, o governo está ‘retirando’ a emenda, continuando o diálogo em cima de transparência absoluta como foi feito no Fórum, e até o final de novembro se nós não chegarmos num acordo que não tiver uma proposta possível de ser executada, o governo vai tomar todas as medidas que forem necessárias para encaminhar para a Assembleia para nós termos um Estado equilibrado financeiramente”, disse Rossoni.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="393026" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]