Governo e servidores se reúnem para negociar fim das greves

Mariana Ohde


Com AEN e Metro Curitiba

O governo do Paraná retomou as negociações com os servidores do estado sobre questões salariais do funcionalismo e o encerramento das greves. Em reunião nesta quarta-feira (26) , foi fechado um acordo entre o chefe da Casa Civil, Valdir Rossoni, e dirigentes sindicais de várias categorias do serviço público.

“Estamos estabelecendo um novo calendário de negociações e esperamos que as greves sejam encerradas o mais breve possível”, disse Rossoni. Após a reunião, Rossoni divulgou nota reafirmando a intenção:

O Governo do Paraná reafirma a disposição de discutir com os sindicatos dos servidores do Estado do Paraná a data-base e a implantação das promoções e progressões tendo como parâmetro R$ 1.400.000,00, previstos na PLOA de 2017, dentro de um cronograma de negociação para a discussão de alternativas, antes da votação na Assembleia Legislativa. O reajuste do auxílio-transporte e a equiparação do salário dos funcionários ao piso regional também serão incluídos na pauta de discussão.

Também nesta quarta-feira, o governo anunciou o pagamento dos vencimentos dos servidores públicos estaduais relativos ao mês de outubro na sexta-feira (28). Desta forma, o crédito de aproximadamente R$ 1,6 bilhão, que seria feito apenas na segunda-feira, será antecipado em três dias.

“A determinação do governador é que se faça essa antecipação como uma homenagem pelo Dia do Servidor Público, que se comemora neste 28 de outubro”, disse a secretária em exercício da Administração e da Previdência, Márcia Carla Pereira Ribeiro. O estado possui aproximadamente 140 mil servidores ativos, do Executivo e órgãos da administração direta e autárquica, e 110 mil aposentados e pensionistas.

Compromisso

No dia 20, o governo do estado aceitou retirar o item 33 da emenda nº 043/2016, que suspenderia a data-base dos servidores públicos no ano que vem, caso as greves sejam encerradas.

A medida vinha sendo pedida pelos sindicatos como condição para a volta ao trabalho. Na ocasião, Rossoni assinou um termo de acordo com o Fórum das Entidades Sindicais (FES). “Trazendo esse documento assinado, o governo do Paraná vai cumprir o compromisso e retirar a proposta no mesmo instante”, declarou. O termo, no entanto, admite a possibilidade de a proposta ser reapresentada no fim do próximo mês, caso governo e sindicatos não encontrem uma solução que permita algum reajuste aos funcionários públicos estaduais. “Nós que conhecemos as finanças do Estado não vemos muito espaço para negociação, mas vamos expandir este diálogo até o final de novembro. Existe a possibilidade de construir uma emenda em conjunto com os sindicatos. Se não houver entendimento, o governo vai enviar a mesma emenda para a Assembleia Legislativa”, explicou Rossoni.

Governo e FES divergem sobre o projeto da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) de 2017 enviado à Alep. Enquanto o Estado prevê crescimento zero do PIB (Produto Interno Bruto), os servidores se baseiam em projeção do Boletim Focus, do Banco Central, que indica crescimento do PIB em 1,5% no Paraná. Para o Executivo, o reajuste dos servidores no ano que vem custaria R$ 2,1 bilhões, contra R$ 1,9 bilhão na conta do FES.

Previous ArticleNext Article
Mariana Ohde
Repórter no Paraná Portal