Governo fala em assentar 10 mil famílias do MST

Redação


Depois de duas mortes, confrontos durante uma reintegração de posse em Santa Teresinha do Itaipu, no oeste do Paraná, e uma série de bloqueios em rodovias, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) se reuniram na quarta-feira com o governador Beto Bicha (PSDB).

Ao fim do encontro o governador prometeu criar uma “Força-tarefa” para apoiar o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e assentar os 10 mil integrantes do movimento que estão em 66 acampamentos no Paraná.

O representante do MST, Diego Moreira, deixou o evento elogiando as ações do governo nos assentamentos nos últimos cinco anos, especialmente na saúde e educação. Ele disse ainda que a perspectiva futura é positiva. “A reunião foi bastante simbólica, bastante importante, porque restabelece um processo de mediação política, de diálogo na busca do assentamento imediato das 10 mil famílias”, disse.

O Incra apresentou um plano para os assentamentos e garantiu ter 90 processos que podem obter 120 mil hectares de terra, área suficiente para assentar todos. O superintendente Nilton Bezerra Guedes, no entanto, alerta que isso levará tempo. “Nós temos área com potencial de assentar essas famílias, mas o que precisamos é de um pouco mais de tempo para concluir o processo de obtenção, compra, desapropriação, nulidades e adjudicação por dívidas”, explicou.

Quedas do Iguaçu

O MST pediu prioridade aos acampados em Quedas do Iguaçu, além da conclusão das investigações sobre os dois integrantes do movimento mortos em confronto com a Polícia Militar em abril deste ano.

Informações do Metro Jornal Curitiba

Previous ArticleNext Article