Governo reforça ação contra febre amarela nos parques estaduais e unidades de conservação

Redação e Assessoria


As secretarias de Estado da Saúde e do Desenvolvimento Sustentável e Turismo reforçam, a partir deste sábado (9), a necessidade de vacinação contra febre amarela para os visitantes de parques e unidades de conservação do Paraná, especialmente do Litoral, onde há circulação do vírus da doença.

Serão distribuídos panfletos de orientação nas entradas dos parques e também em locais com aglomeração de pessoas. A decisão foi tomada nesta sexta-feira, em reunião realizada na Secretaria da Saúde para reforçar a importância da vacinação.

“As unidades Marumbi, Paraná, Pau-Oco, Ilha do Mel, Campinho, Lauráceas e Baitaca são consideradas áreas sob risco de contaminação da febre amarela e teremos cartazes de alerta e orientação de policiais do Batalhão da Polícia Ambiental”, explica o diretor de Gestão e Patrimônio Natural da Secretaria Estadual do Desenvolvimento Sustentável e Turismo, Aristides Ataíde.

A superintendente de Vigilância à Saúde da Secretaria da Saúde, Acácia Nasr, informou que a recomendação é para que as pessoas tomem a vacina pelo menos 10 dias antes da visitar as Unidades de Conservação. “Sabemos que o vírus está circulando, por isso é importante a vacinação. Já confirmamos a morte de dois macacos em Antonina e Morretes, mas ainda existem outros casos em investigação”, disse.

Além de recomendar a vacina antes da visita às Unidades é importante o uso de repelente, camisa de manga comprida, calça comprida, calçado fechado, bonés ou chapéus.

As duas secretarias avisam, ainda, que os macacos não transmitem a febre amarela. A doença só é transmitida pela picada do mosquito. Caso seja encontrado macaco morto entre em contato com a Secretaria de Saúde do seu município ou ligue para (41) 991170444 ou 991173500 para fazer a notificação.

Previous ArticleNext Article