Grávida morta em abril é intimada a depor; Polícia reconhece erro

A jovem de 19 anos morreu no final de abril, em um acidente de trânsito, em Curitiba. A intimação para depor foi recebida por familiares

Redação - 07 de julho de 2022, 18:48

Reprodução/Redes sociais
Reprodução/Redes sociais

A família de uma jovem de 19 anos, que morreu em um acidente de trânsito no mês de abril, em Curitiba, recebeu uma intimação para que a vítima comparecesse a uma delegacia. A convocação foi feita para Manuela Queiroz Vicentini e para o viúvo Carlos Kalichak, pai do bebê. As informações são da rádio BandNews FM.

Grávida de cinco meses, a vítima tinha 19 anos e morreu no final de abril em um acidente de trânsito no bairro Boqueirão. Ela chegou a ser encaminhada ao hospital, mas morreu quatro dias depois.

Segundo as investigações, o carro dirigido por Samuel Barbosa teria furado a preferencial. Em seguida, o veículo atingiu o outro carro que estava à família. O marido dela, que dirigia o veículo, sobreviveu. Segundo o viúvo Carlos Kalichak, a intimação foi entregue no mês passado e pedia que o casal comparecesse à delegacia duas semanas depois.

Após a intimação, os familiares foram até o 7º Distrito Policial de Curitiba informar que a jovem grávida está morta. O delegado titular do distrito, Nasser Salmen, reconheceu o equívoco.

O motorista suspeito de provocar o acidente chegou a ser preso, mas foi solto no mesmo dia. O advogado de Samuel Barbosa, Ryan Antunes de Sá, afirma que o processo ainda está em andamento.

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública esclarece que “as polícias do Paraná atuam em todos os casos de denúncias de irregularidades cometidas por policiais. Nos casos em que são comprovados desvios de conduta, os servidores são julgados e punidos de acordo com a legislação vigente”.