Greca sobre alta da Covid em Curitiba: sociedade descuidou de sua obrigação sanitária

Mirian Villa e Vinicius Cordeiro

greca reeleito prefeito curitiba primeiro turno

Nesta sexta-feira (20), em coletiva de imprensa, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca (DEM), afirmou que toda a sociedade abriu a guarda e “descuidou da obrigação sanitária de usar máscara, lavar as mãos e não promover aglomeração”, ocasionando o aumento de casos da Covid-19.

Além disso, Márcia Huçulak, secretária municipal de Saúde, afirmou que a mudança de bandeira será comunicada durante a publicação do boletim de hoje, que acontece no final da tarde. “Não temos como dizer se ela vai continuar amarela ou não, se ela vai para a laranja ou não”, justificou.

Em contrapartida, Greca disse que implantar restrições em Curitiba não é o seu desejo. “Não me move a vontade de implantar restrições na cidade, eu sou um profissional do cuidado. Eu não estou no mundo para apontar culpados.”

TRANSMISSÃO É INTRAFAMILIAR, DIZ SECRETÁRIA DE SAÚDE

De acordo com Huçulak, os casos aumentaram na população de 15 a 45 anos. Principalmente, entre adolescentes e jovens, que se descuidaram, se contaminaram e transmitiram o vírus para familiares.

“O contagio é intrafamiliar, dentro das casas, é o jovem que sai e traz para dentro de casa. O jovem tem um quadro leve, pouco perceptível, mas ele transmite para outras pessoas. Nós temos histórias de um caso que resultou em 20/30 pessoas contaminas e alguns óbitos.”

A secretária, inclusive, comentou que recebeu um alerta de uma rave que vai acontecer hoje e amanhã (sexta e sábado), que começa à noite e vai até o amanhecer do próximo dia. “Infelizmente, os organizadores só passam o endereço para quem confirmar presença. Mas estamos buscando descobrir o local que vai acontecer”, disparou.

Em seguida, Huçulak fez um alerta afirmando que o vírus continua em nosso meio e os cuidados sanitários não podem ser deixados de lado. “A vacina é a nossa alforria, mas provavelmente só vamos ter vacinas para idosos e profissionais de saúde. A vacina não será para toda a população.”

Segundo perspectiva da secretária, a vacina para jovens só vai ser liberada em 2022. Por isso, “vamos conviver com o vírus um bom tempo.” Greca disse que entende a vontade da população mais jovem de se reunir, mas justificou: “nós já abrimos a guarda e agora o momento é de manter os cuidados básicos: usar máscara, lavar as mãos, passar álcool gel e não aglomerar”.

ESTRUTURA HOSPITALAR DE CURITIBA PARA ATENDER CASOS DA COVID-19

Já sobre a estrutura hospitalar da Capital, respiradores e leitos que tinham sido desativados, com a baixa no registro de casos que ocorreu em setembro, serão reativados novamente. “Nós renovamos o convênio com o Hospital Vitória e o Instituto de Medicina do Paraná”, afirmou Greca.

A secretária enfatizou que não está faltando equipamento para atender os novos casos da Covid-19 e que até o final da próxima semana, 24 leitos serão reabertos no sistema SUS. “Nós podemos chegar a 370 leitos, conforme a necessidade.”

Porém, a situação da rede privada é mais complicada. Alguns hospitais registraram 100% da ocupação dos leitos específicos para a Covid-19. “Antes isso já aconteceu. Primeiro lota a rede particular, e depois, a pública. Ontem, transferimos um paciente de um hospital particular para um leito SUS porque eles não tinham mais vagas”, explicou Huçulak.

Greca ainda fez um apelo para o governo do Estado e para as prefeituras de cidades da Região Metropolitana de Curitiba para impor medidas para combater a transmissão do novo coronavírus.

“É fundamental o apoio na manutenção do protocolos básicos, não podemos abandonar. Temos uma estrutura robusta com profissionais competentes e dedicados, mas eu apelo ao governador do Estado, aos colegas das cidades vizinhas para impor medidas semelhantes que ajudem no combate ao vírus. Apelo que acabem com as cirurgias eletivas. Eu tenho certeza que com inteligência e prudência vamos atravessar esse momento”, explicou.

SISTEMA DE BANDEIRAS CRIADO PELA PREFEITURA

A prefeitura de Curitiba criou um sistema de bandeiras para determinar as medidas restritivas ao longo da pandemia.

São três cores: amarela (alerta), laranja (risco médio) e vermelha (risco alto), que correspondem aos valores 1, 2 e 3. Essa nota é resultado de um cálculo feito sobre nove indicadores. Seis dos indicadores se referem ao nível de propagação da doença enquanto os outros três avaliam a capacidade de resposta do Sistema de Saúde da cidade.

COVID-19 EM CURITIBA

Curitiba bateu recorde de novos casos da covid-19, nesta quinta-feira (19), pelo segundo dia seguido. Conforme o boletim da SMS (Secretaria Municipal da Saúde), foram mais 1.381 confirmações e nove mortes.

No acumulado, a capital paranaense totaliza 64.030 infectados (54.013 recuperados) e 1.602 óbitos por complicações do coronavírus. Essa foi a primeira vez que Curitiba registra mais de mil infectados em um único dia. A prefeitura contabilizou mais 1.508 casos na última segunda (16), mas os dados também incluíam os números do domingo.

Outro dado fornecido pela prefeitura de Curitiba é o número de casos ativos, que representa o número de pessoas com potencial transmissão do coronavírus. Hoje são 8.415 casos ativos, acima dos 7.992 registrados no final de julho. Isso quer dizer que nunca houve tantos infectados com possibilidade de contágio da doença.

Previous ArticleNext Article