Greve dos ônibus em Curitiba é descartada; salários são quitados

Três empresas que fazem o transporte público na capital paranaense quitaram os salários pendentes, referentes ao mês de abril.

Johan Gaissler - 11 de maio de 2022, 17:48

(Foto: Lucília Guimarães/SMCS)
(Foto: Lucília Guimarães/SMCS)

A possibilidade de greve dos ônibus em Curitiba foi descartada no fim da tarde desta quarta-feira (11). Três empresas que fazem o transporte público na capital paranaense quitaram os salários pendentes, referentes ao mês de abril, e o indicativo foi suspenso. 

A paralisação aconteceria a partir das 4 horas da manhã de quinta-feira (12). O Setransp (Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana) informou que os pagamentos foram realizados pelas três empresas e que todos os salários estão em dia, o que foi confirmado pelos trabalhadores do transporte público de Curitiba.

"Muitas vezes precisamos nos impor para conseguir garantir o pagamento dos salários, mas estamos contentes de continuar trabalhando", disse Anderson Teixeira, presidente do Sindimoc (Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana).

Segundo as empresas do transporte público de Curitiba, a suspensão da greve "só foi possível graças ao esforço conjunto de todas as empresas de ônibus e da Urbs, no decorrer da semana". 

A Urbs (Urbanização de Curitiba), que teria atrasado repasses às empresas, afirmou que R$ 2 milhões foram pagos nesta quarta. O valor é parte de um convênio com o Governo do Paraná

GREVE ESTAVA MANTIDA DURANTE O DIA

Durante o dia, o indicativo de greve de motoristas e cobradores estava mantido. De acordo com o Sindimoc, duas de três empresas que operam na região acertaram os pagamentos pendentes nesta quarta. Apenas uma, a CCD, ainda estava com atrasos.

INDICATIVO DE GREVE EM CURITIBA FOI APROVADO NO INÍCIO DA SEMANA

Na segunda-feira (9), motoristas e cobradores do transporte público de Curitiba aprovaram um indicativo de greve. As empresas CCD, Glória e Tamandaré não haviam feito o pagamento referente ao mês de abril.

Segundo o Sindimoc (Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana), a Urbs (Urbanização de Curitiba) não havia repassado o pagamento às empresas, previsto para a última sexta-feira (6).

A Urbs, por sua vez, mencionou o déficit do sistema de transporte da Capital em 2022 e informou que aguarda a aprovação de um suplemento orçamentário de R$ 174 milhões na Câmara Municipal de Curitiba.