Greve geral: garagens de ônibus amanhecem fechadas e ruas são bloqueadas

Francielly Azevedo


**Atualizada às 11h**

Embora o Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) tenha informado que a categoria votou não aderir a Greve Geral nesta sexta-feira (14), várias garagens do transporte coletivo amanheceram fechadas. Além disso, ônibus bloqueiam algumas ruas e evitam que os demais circulem.

A paralisação é um protesto contra a Reforma da Previdência.

No fim da tarde desta quinta-feira (13), o Sindimoc garantiu que a maioria dos trabalhadores decidiu não cruzar os braços. As consultas estavam sendo realizadas desde segunda-feira (10) nas empresas de transporte.

Por meio de uma publicação no Facebook, a Prefeitura de Curitiba informou que, desde às 5h, a Central Única dos Trabalhadores (CUT) e a Força Sindical fecharam as garagens para impedir a saída dos ônibus. Dois ônibus que buscam funcionários foram sequestrados, segundo a administração municipal. Diante disso, a Guarda Municipal e a Polícia Militar foram acionadas pela Urbanização de Curitiba (Urbs), responsável pela gestão do transporte coletivo da capital.

Ainda conforme a Prefeitura, diversas estações-tubo estavam sem cobradores. Nos terminais e estações-tubo com cobradores, a orientação das empresas era para não cobrar, pois não havia certeza de que os ônibus irão conseguir transitar.

A reportagem entrou em contato com o Sindimoc que disse não participar do movimento. Segundo o sindicato, a organização parte da CUT e Força Sindical.

ÔNIBUS VOLTAM A CIRCULAR

Por volta das 11h, 95% da frota estava funcionando normalmente. Por meio do aplicativo Curitiba 156, no menu Meu Ônibus, é possível verificar se a sua linha está funcionando. Basta selecionar  a linha e acompanhar em tempo real a frota com base no GPS do veículo.

O Setransp (Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana) informou que todas as garagens foram desbloqueadas – a última, da Araucária Transporte Coletivo e Expresso Azul, que atuam principalmente na região oeste da cidade, foi liberada às 9h45.

GREVE GERAL

Várias categorias aderiram à greve geral convocada pela CUT e demais centrais sindicais. Na capital paranaense, os atos contra a reforma da Previdência devem começar a partir das 10h desta sexta-feira (14), em frente ao Palácio Iguaçu.

Os servidores públicos do estado devem aproveitar a mobilização para pressionar o governador Ratinho Junior (PSD) em relação ao reajuste salarial, que não tem correção desde 2016.

Entre as categorias que confirmaram a adesão ao movimento nacional estão profissionais da área da saúde, educação e segurança pública.

O Sindicato dos Servidores Municipais de Curitiba (Sismuc) e Sindicato dos Servidores do Magistério Municipal de Curitiba (Sismac) também vão parar as atividades.

OUTRAS CIDADES

Em Londrina e Maringá, na região norte, ônibus também estão sem funcionar. Em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, existiu a tentativa de paralisação, mas as portas da garagem foi liberada pouco depois.

Previous ArticleNext Article
Jornalista, formada pela Universidade Tuiuti do Paraná. Tem passagens pela TV Educativa, TV Assembleia, TV Transamérica, CATVE, Rádio Iguassu e Folha de Londrina. Atualmente trabalha no Paraná Portal e na Rádio CBN.
[post_explorer post_id="630977" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]