Grupo que cobrava por segurança, luz e internet é alvo de mandados

Fernando Garcel


Sete pessoas suspeitas de integrar uma organização criminosa tiveram prisão temporária decretada como resultado de investigações do Ministério Público do Paraná (MPPR), por meio da 3ª Promotoria de Justiça de Araucária, em parceria com o Serviço de Inteligência do 17º Batalhão de Polícia Militar do Estado do Paraná.

De acordo com o MPPR, o grupo é suspeito de envolvimento com o tráfico de drogas, venda irregular de terrenos, cobrança de valores de moradores em troca de segurança, luz e internet e venda clandestina de botijões de gás no bairro Jardim Israelense, no município de Araucária, região metropolitana da capital paranaense.

Investigações apontam que o grupo cobrava taxas ilegais, sob forma de “mensalidade” da Associação de Moradores. Em caso de não pagamento, o morador era expulso da região e se tornava vítima de assaltos e ameaças constantes contra a sua vida.

Os mandados de prisão temporária e mais quatorze mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas cidades de Araucária, Curitiba, Mandirituba e Guaratuba. Com os suspeitos foram encontrados mais de R$ 5 mil em espécie, pistolas, carregadores, colete balístico, substâncias entorpecentes, além de comprovantes de depósitos bancários, contratos de vendas de terrenos e anotações indicando a cobrança ilícita.

As investigações terão continuidade durante os 30 dias em que vigorarem as prisões temporárias. Neste período serão ouvidos os depoimentos dos suspeitos e de testemunhas.

Previous ArticleNext Article