Ataque em Guarapuava: Quadrilha não conseguiu roubar principal alvo

O Tenente-Coronel Joas, comandante da PM em Guarapuava, confirmou que três policiais ficaram feridos durante o ataque de uma quadrilha em Guarapuava.

Redação - 18 de abril de 2022, 02:46

(Reprodução/Redes sociais)
(Reprodução/Redes sociais)

O ataque registrado em Guarapuava, na região central do Paraná, durante a noite deste domingo (18) deixou pelo menos dois policiais feridos, de acordo como Tenente-Coronel Joas, comandante da PM-PR (Polícia Militar do Paraná). Após horas de tiroteios na cidade, os bandidos fugiram por estradas de terra.

"Eles [assaltantes] pegaram estradas vicinais. Parte da quadrilha seguiu para a estrada de acesso a Goioxim e outra no sentido do distrito de Palmeirinha", disse ele ao site Rede Sul de Notícias durante a madrugada.

Ainda segundo o comandante da PM, os bandidos não tiveram sucesso ao tentar o assalto no Proforte e não levaram nada da transportadora de valores. 

POLICIAIS FICAM FERIDOS EM ATAQUE DE QUADRILHA

Segundo as informações do Tenente-Coronel Joas, dois policiais foram atingidos por balas dos bandidos. Um deles foi alvejado na perna enquanto outro tomou um tiro de raspão na cabeça. Ele passou por cirurgia, não corre risco de morte e está na UTI (Unidade de Terapia Intensiva).

De acordo com informações obtidas pelo Paraná Portal, eles foram encaminhados ao Hospital São Vicente, no centro de Guarapuava.

BANDIDOS CAUSAM TERROR EM GUARAPUAVA

A população de Guarapuava viveu momentos de tensão durante a noite do domingo de Páscoa. Com armas de grosso calibre, os bandidos fizeram reféns e incendiaram veículos em diferentes pontos da cidade.

A quadrilha iniciou os ataques na cidade com disparos contra o 16º Batalhão da Polícia Militar. De forma simultânea, diversos pontos de entrada para a cidade foram fechados para dificultar a chegada de mais forças policiais. A Polícia Rodoviária de Ponta Grossa foi acionada para a ocorrência.

Além disso, o Exército também passou a percorrer as ruas de Guarapuava para conter o ataque dos criminosos. No entanto, ainda não há mais informações sobre os confrontos. 

Vídeos compartilhados nas redes sociais mostram o desespero de alguns moradores com os tiroteios. Veja imagens: